24 de março de 2012

Coleção Relações Internacionais e Integração

 
 

CapaProcessos de integração regional e cooperação intercontinental desde 1989

 

Organizadores: Marianne Wiesebron e Richard T. Griffiths

 

Desde o fim da Guerra Fria, a quantidade de acordos de livre comércio e os processos de integração têm conhecido um crescimento formidável. Trata-se de uma decorrência automática da globalização ou representa uma reação a ela? Qual o papel da Organização Mundial do Comércio e das negociações multilaterais na conformação dos acordos? Há diferença entre os processos de liberalização e/ou integração dos países da OCDE e os do Terceiro Mundo? Esses acordos são realmente consistentes ou significam movimentos conjunturais?

 

Capa

 

Repensando as Relações Internacionais

 

Autor: Fred Halliday

 

Em seu primeiro livro traduzido para o português, Fred Halliday desenvolve tanto uma instigante e renovadora discussão teórica sobre as Relações Internacionais quanto uma aplicação dessa teoria sobre o sistema internacional que está emergindo com o fim da Guerra Fria. Numa revisão de amplo expectro, identifica um impasse na teoria das Relações Internacionais: se o debate tem ocorrido em torno do estado-nação, e em relação à definição de obejtivos metodológicos, Halliday busca superar este duplo impasse através de uma nova teorização do papel do Estado e de uma crítica às análises do realismo inglês, do behaviorismo americano, do neorealismo e do pós-modernismo. Através da discussão crítica de questões como Estado, Sociedade, revolução e mulheres, e do resgate do marxismo nos estudos internacionais, o autor propõe novas abordagens e enquadra os acontecimentos da última década da política mundial.

 

Capa   O Brasil e a Liga das Nações

 

Autor: Eugenio Vargas Garcia

 

Este livro estuda a participação do Brasil na Liga das Nações, um tema pouco trabalhado pelos pesquisadores de nossa história diplomática e constitui um verdadeiro paradigma da tentativa pouco realista de uma nação periférica e extremamente frágil, em termos de poder, de participar de um órgão diretivo de uma organização de âmbito mundial. Além de explorar a conjuntura internacional pós- Primeira Guerra Mundial, o livro desvenda o processo decisório e a visão de mundo das elites da Primeira República em declínio sobre o cenário mundial. Finalmente, a obra nos mostra como transcorriam as negociações cotidianas dentro da Liga

 

CapaA Política Externa do Regime Militar Brasileiro: multilateralização, desenvolvimento e construção de uma potência média (1964-1985)

 

Autor: Paulo Fagundes Vizentini

 

O autor analisa a política exterior do Regime Militar brasileiro como diplomacia voltada ao processo de desenvolvimento industrial por substituição de importações e o fortalecimento nacional no plano mundial, com vistas à construção de uma potência média. O perfil de tal política externa caracteriza-se pela multilateralização e mundialização da presença internacional do Brasil durante o período de 1964-1985, no quadro da busca de crescente autonomia, sobretudo frente aos EUA. Tais características apresentam traços de continuidade com a Política Externa Independente, ainda que numa perspectiva de ausência de reformas sociais no plano interno e de um sistema político autoritário e conservador.

 

Relações Internacionais e Política Externa do Brasil Capa

 

Autor: Paulo Roberto de Almeida

 

Esta obra analisa, em sua primeira parte, as questões teóricas ligadas às concepções dos formuladores e executores da política externa brasileira, bem como os paradigmas interpretativos elaborados pelos acadêmicos sobre o tema. Na Segunda parte, as relações internacionais, aborda a realidade prática da política externa, ao longo de toda a história do país, da colônia à atualidade. Além da periodização dessa evolução, aborda questões fundamentais como a inserção econômica internacional do Brasil, a posição dos partidos políticos nacionais sobre as relações exteriores, desde a era Vargas até o presente, e os atos internacionais firmados pelo Brasil.

 

Capa Quinhentos Anos de Periferia

 

Autor: Samuel Pinheiro Guimarães

 

Em Quinhentos anos de Periferia: uma contribuição ao estudo da política internacional, o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães analisa criticamente a reestruturação da ordem mundial Pós-Guerra Fria enquanto tentativa de afirmação de uma nova hegemonia norte-americana, bem como das novas estruturas de poder que essa instrumentaliza. Uma vez definido o sistema mundial emergente, o autor aborda as implicações do Status periférico dos grandes Estados do Terceiro Mundo, particularmente o Brasil. Finalmente, baseando-se em sua larga experiência diplomática e intelectual, o autor discute os problemas ligados à integração hemisférica, particularmente as tensões entre as concepções subjacentes à ALCA e ao Mercosul.

 

Capa A China e o Sudeste Asiático

 

Autor: Paulo Antônio Pereira Pinto

 

A política de reformas e abertura implantada pela China desde os anos 70 produziu efeitos notáveis no desenvolvimento econômico e na inserção internacional do país, elevando seu nível como potência. Nos marcos deste complexo fênomeno, uma das questôes fundamentais, mas, paradoxalmente, pouco conhecida, é a relação da República Popular da china com a próspera diáspora chinesa, particularmente do Sudeste Asiático. A passagem da ênfase da luta de classes à modernização e reconciliação nacional, proposta por Deng Xiaoping, foi acompanhada pela retomada de valores tradicionais chneses, como o confucionismo e o nacionalismo. Assim. a política e a economia chinesa passaram a projetar-se, prioritariamente, em direção à sua área de influência cultural, melhorando as relações diplomáticas, a cooperação econômica e os estímulos à estabilidade regional.

 

Capa El Mercosur y su Contexto Regional e Internacional

 

Autor: Jacques Ginesta

 

Este livro aborda as principais características dos contextos regional e internacional a serem consideradas para chegar-se a uma adequada compreensão das forças e interesses nacionais e regionais que estiveram nas origens do Mercosul, e que, na atualidade, estão na raiz dos avanços e das crises da mais recente experiência integracionista lantino-americana. É realizada também uma análise das opções que se abrem a este espaço sub-regional no âmbito da América Latina e em suas relações com a União Européia e com a Área de Livre Comércio Americana (ALCA). O livro também possui um apêndice estatístico e uma cronologia do Mercosul.

 

Capa Da Substituição de Importações à Substituição de Exportações

 

Autor: Heloísa Conceição Machado da Silva

 

Este trabalho, centrado no papel que desempenhou a política de comércio exterior de 1945 a 1979, vem preencher importante lacuna nos estudos sobre a política econômica externa do Brasil. Pode-se constatar, ao longo do texto, a existência de dois traços comuns da política econômica externa no período em foco. O primeiro fora marcado pela deterioração dos termos de intercâmbio, pela relativa inelasticidade da demanda por produtos primários, pela necessidade de valorização das taxas de câmbio e instituição de um controle seletivo de importações, como forma de impedir que o estrangulamento do setor externo paralisasse as exportações e dificultasse o processo de industrialização. No segundo, correspondente aos anos de 1964 a 1979, constatou-se que o desenvolvimento industrial das décadas anteriores sugeriu uma mudança de foco na política de comércio exterior brasileira. Esta passaria a ostentar um modelo complementar ao Modelo Substitutivo de Importações, ou seja, o Modelo Substitutivo de Exportações. Fundamentado em consistente pesquisa de arquivo, a obra de Heloísa Machado permanece como referência fundamental para o entendimento das fases da política de compércio exterior brasileira.