Pesquisas em Andamento


1) Transtorno de Humor Bipolar em comorbidade com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade em crianças e adolescentes: aspectos bioquímicos, genéticos e neuropsicológicos relacionados ao fator neurotrófico derivado do cérebro.


Este estudo faz parte de um esforço para um maior entendimento das causas do Transtorno Bipolar. É conduzido pelo médico Cristian Zeni. Neste estudo, serão colhidas amostras de sangue uma criança ou adolescente com Transtorno Bipolar, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, e de crianças e adolescentes sem doenças psiquiátricas. Além da criança, os pais também cederão uma amostra de sangue, com a finalidade de estudar como o gene do BDNF (fator neurotrófico derivado do cérebro) é transmitido dos pais para os filhos. O objetivo é estudar as bases hereditárias destes transtornos psiquiátricos.

Além do estudo genético, será estudada uma proteína que está ligada com a regeneração e plasticidade dos neurônios (o fator neurotrófico derivado do cérebro), e que pode estar ligada ao Transtorno Bipolar.

O que você ganha ao participar deste estudo?

A criança ou adolescente e seus pais biológicos terão acesso a uma avaliação multidisciplinar através de entrevistas individualizadas para detecção e / ou confirmação da presença de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade e Transtorno Bipolar. A criança ou adolescente terá acesso a uma bateria de testes neuropsicológicos que ajudarão no entendimento das dificuldades escolares que ela estiver apresentando. No caso de diagnóstico positivo, o atendimento da criança ou adolescente no programa estará assegurado mesmo que vocês decidam retirarem - se da pesquisa no andamento da mesma. Por fim, a sua participação ajudará no desenvolvimento de novos conhecimentos que poderão eventualmente beneficiar vocês e outras pessoas que enfrentam os mesmos problemas.

O que você precisará fazer?

Além das entrevistas e testes mencionados acima, apenas será coletada uma amostra de 5 ml de sangue da criança ou adolescente e de um ou de ambos os pais biológicos para avaliação dos genes potencialmente envolvidos através de análise do DNA.

Quem pode participar?

Crianças ou adolescentes de 8 a 17 anos com diagnóstico confirmado de TDAH ou TB através da avaliação acima descrita que tenham um ou ambos (preferencialmente) pais biológicos disponíveis e dispostos a participarem da pesquisa.


Pesquisador Responsável: Cristian Zeni



2) Tratamento Farmacológico em Desregulação Grave do Humor


Qual o objetivo da pesquisa?


Algumas crianças apresentam alterações crônicas de humor, tristeza e/ou irritabilidade associadas a sintomas tais como insônia, explosões da raiva, baixa tolerância às frustrações e agressividade. Atualmente acredita-se que esse grupo de crianças, por apresentarem sintomas crônicos, possua um diagnóstico específico, que está sendo chamado de Desregulação Grave do Humor.
Nós fazemos parte de uma equipe de profissionais de saúde do Hospital de Clínicas de Porto Alegre que estuda esta doença. As crianças que apresentam Desregulação Grave do Humor têm indicação para tratamento medicamentoso dependendo da intensidade de seus sintomas. Entre as medicações existentes a Risperidona é usada para controle de sintomas como irritabilidade, impulsividade e agressividade. O objetivo deste trabalho é avaliar se a Risperidona é eficiente no tratamento de pacientes com Desregulação Grave do Humor.


 Que ganho você tem com este estudo?


Seu filho (a) estará sendo acompanhado de perto durante o uso da medicação, todos os benefícios do medicamento assim como possíveis efeitos colaterais serão cuidadosamente avaliados.  Seu filho (a) estará recebendo gratuitamente os comprimidos do remédio neste período. Por fim, a participação de seu filho (a) ajudará a esclarecer se a Risperidona é benéfico e se tem poucos efeitos colaterais para o tratamento de Desregulação Severa do Humor. Com isto, seu filho (a) será beneficiado, assim como outras pessoas que enfrentam o mesmo problema.


O que acontecerá neste estudo?


Será necessário que você e seu filho compareçam no ambulatório do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, zona 7, às sextas feiras, no horário a ser estipulado por um período de 8 semanas, quando um médico de nossa equipe estará avaliando seu filho (a) e buscando informações sobre os sintomas que ele apresenta. Será fornecida a medicação. Quinzenalmente seu filho (a) será acompanhado pelo médico.

Quem pode participar?


Crianças e adolescentes que apresentem irritabilidade acentuada e de forma constante serão avaliados e estarão aptos a ingressar no estudo após a confirmação do diagnóstico de Desregulação Grave do humor.


Pesquisador Responsável: Fernanda Valle Krieger

 



3) A aprendizagem na infância e na adolescência em pacientes com Transtorno de Humor Bipolar e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade: Dificuldades e/ou Transtornos de Aprendizagem no âmbito escolar.

 

Atualmente, diante das inovações e exigências da sociedade em que vivemos, tem-se dado valor acentuado ao bom desempenho escolar e ao sucesso profissional, levando muitos pais a ficarem mais atentos as dificuldades enfrentadas por seus filhos no ambiente escolar, levando assim à busca de diferentes especialistas vinculados a área da saúde, neurologistas, psiquiatras, psicólogos, dentre outros, os quais por sua vez sentem cada vez mais a necessidade de uma avaliação psicopedagógica, buscando verificar os aspectos relacionados à compatibilidade entre o nível de desempenho do paciente na escola e sua faixa etária e escolaridade, focalizando especificadamente as áreas da leitura, escrita e matemática e habilidades correlatas.


As Dificuldades de Aprendizagem (DA) podem ser oriundas de problemas relacionados a fatores ligados à escola ou ao ambiente familiar, secundárias a outras patologias, bem como: funções sensoriais, doenças crônicas, transtornos psiquiátricos e doenças neurológicas. Além das DA, já citadas anteriormente, pode-se também existir casos onde há prevalência de Transtornos de Aprendizagem (TA), compreendendo assim uma incapacidade específica, como da leitura, da escrita e/ou da matemática.


É importante ressaltar, que pacientes com Transtorno de Humor Bipolar (TB), devido aos prejuízos ocasionados pela patologia, vêem a sofrem comprometimentos significativos em relação ao seu crescimento emocional e ao desenvolvimento cognitivo, interferindo assim negativamente em seu processo de aprendizagem, fazendo com que a linguagem, a escrita, o pensar, o criar e o raciocínio lógico, estejam alterados em decorrência das suas constantes oscilações do humor. Associado assim, a dificuldades escolares, dificuldades nas relações interpessoais, problemas legais e múltiplas hospitalizações, privando-os assim de um desenvolvimento psicossocial normal.


Com base nos aspectos salientados, o presente estudo, atrelado ao Programa de Crianças e Adolescentes Bipolares (ProCAB), do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, tem como objetivo avaliar a prevalência do grau de severidade em relação a Dificuldades e/ou Transtornos de Aprendizagem, em pacientes com Transtorno Bipolar (TB), pareando posteriormente os dados obtidos na pesquisa, com pacientes que apresentem Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), podendo-se assim verificar, em qual dos dois grupos de sujeitos ocorrem maiores alterações cognitivas, afetando negativamente a vida escolar da criança e do adolescente, ocasionando problemas acentuados na aprendizagem em relação ao processo de leitura, escrita, ao vínculo com a aprendizagem e ao raciocínio lógico matemático.


O que você ganha em participar do estudo?


A oportunidade de participar de uma avaliação psicopedagógica, com o objetivo de avaliar o grau de comprometimento na vida escolar de seu (ua) filho (a), visando verificar questões relativas à leitura, a escrita, ao vínculo com a aprendizagem e ao raciocínio lógico matemático, podendo ao término do processo avaliativo, ter acesso ao resultado da avaliação e receber, se for o caso, o encaminhamento para os possíveis locais onde poderá buscar atendimento psicopedagógico, caso haja necessidade.

 

O que você precisa fazer?


Os pacientes participarão de uma avaliação psicopedagógica no período de 1 hora, em um único dia, envolvendo a resolução de testes relacionados às áreas da aprendizagem mencionadas anteriormente. Podendo-se assim, identificar a existência ou não DA e/ou TA que prejudicam o funcionamento escolar e social da criança e do adolescente com TB. Os pais responderão a um questionário estruturado visando questões relativas à aprendizagem do filho (a) e deverão entregar a professora ou Orientadora Educacional da escola, um questionário envolvendo perguntas acerca do processo de aprendizagem de seu (ua) filho (a).


Quem pode participar?


Pacientes de 8 a 17 anos, de ambos os sexos, que recorrerem ao Programa de Crianças e Adolescentes Bipolares do Hospital de Clínicas de Porto Alegre/RS (ProCAB) e que apresentem diagnóstico de Transtorno de Humor Bipolar (TB).

 

Pesquisador responsável: Dra. Silzá Tramontina
Pesquisadora executora do projeto de pesquisa: Psicopedagoga Lanúzia Almeida Brum