Cenas Mínimas tem apresentação de artista circense formada na Ucrânia

Com experiência de ter passado por várias companhias de circo e de teatro no Estado e no Brasil, além de décadas de aprimoramento da mais plural das artes em diversos estúdios, Roberta Alfaya trará ao Centro Cultural da UFRGS algumas das principais técnicas da arte circense nos dias 15 e 16 de julho, às 19h, no espetáculo Impulso. As performances trarão a expressividade da artista especialista em lira (aerialista), manipulação de aros, equilíbrio e flexibilidade.

Atualmente produzindo o projeto Circo Veneno, sua pesquisa dedicada ao teatro e à técnica circense, Roberta Alfaya estudou na capital da Ucrânia, Kiev, em 2010, no conceituado Centro de Criação Artística e Técnicas Circenses Petchersk, sob a batuta dos mestres Slava Sudeykin, Stanislav Philipenko e Tatyana Kuznetsova.

A performance Impulso foi idealizada especialmente para os encontros no Centro Cultural. Nela, a artista pretendeu conceber uma comparação entre o ato circense e o tempo. “O tempo do prazo de uma entrega é proporcional ao que ele te dá de impulso rumo ao fazer, resolver, se levantar em direção a algo em que tu acreditas”, explica Alfaya.

Serviço

Sobre: Cenas Mínimas | Impulso, com Roberta Alfaya
Data: 15 e 16 de julho, às 19h
Ingresso: por ordem de chegada – gratuito e aberto ao público. Haverá doação espontânea diretamente aos artistas
Local: Centro Cultural da UFRGS (Rua Eng. Luiz Englert, 333)

Impulso – Por Roberta Alfaya

Quando fui convidada para participar deste projeto, não existiu a opção de não aceitar. Sou uma Artista de Circo, que acredita no Circo como uma ideia e não como forma. Então grata e inspirada pela oportunidade de ocupar um espaço raro – uma sala dentro de uma universidade, com liberdade total para manifestar minha arte, aceitei.

Um desafio imenso para mim, acostumada com a “balbúrdia” das ruas, dos picadeiros e das plateias sedentas da arte do insólito, eu que pensava que me adaptar a espaços era meu carro-chefe… Então em uma crise a respeito, me dei conta que o que tem me intrigado na vida é o tempo.

Pensei no tempo, no tempo que tinha, no tempo que tinha que ter, no tempo de cada ato, e no tempo das músicas, que me dariam o tempo de estabelecer relação com uma plateia tão próxima. O tempo do prazo de uma entrega é proporcional ao que ele te dá de impulso rumo ao fazer, resolver, se levantar em direção a algo em que tu acreditas.

Não fosse o tempo, estaria presa em minha própria noção de liberdade. Sem a noção do tempo, a liberdade é só uma enorme gaiola, e entre o tempo de dentro e o tempo de fora, teu corpo com o tempo, teu templo, vai exigir coerência. Te convido a te apaixonar pelo tempo.

Quem é Roberta Alfaya

Roberta Alfaya é uma atriz e artista circense que descobriu o movimento através da Capoeira, encontrando-se com a expressividade da luta. Passou a buscar experiência em outras linguagens como o teatro, dança contemporânea, ballet, tango e a dança oriental. Ao conhecer o circo, percebeu que este poderia comportar toda e qualquer forma de expressão e linguagem, passando a se interessar também pela História do Circo e de Povos nômades, que têm como princípio de vida a própria arte. Especializada em Lira (Aerialista), Manipulação (Aros), Equilíbrio e Flexibilidade, aprimorou-se no Centro de Criação Artística e Técnicas Circenses Petchersk (Mestres: Slava Sudeykin , Stanislav Philipenko , Tatyana Kuznetsova ) em Kiev, Ucrania , onde fez residência artística no ano de 2010. Atualmente Roberta produz o Circo Veneno, sua pesquisa pessoal dedicada ao teatro e à técnica circense onde exercita a criação de números próprios, direção de outros artistas, produção de figurinos e oficinas de Circo na cidade de Porto Alegre, trabalhando em colaboração com diversos grupos como a Cia Rústica de Teatro, Maria Pendurada e Circo Híbrido.

Sobre o Cenas Mínimas – Por Lígia Petrucci, coordenadora e curadora do projeto

Cenas Mínimas é o novo projeto idealizado para a Sala Pitangueira do Centro Cultural da UFRGS, e tem como foco – como o próprio nome já indica -produções de pequeno formato. Para além dos desafios que surgem em atuações de elencos reduzidos e na não-espetacularidade dos recursos, o que está em jogo aqui é a própria relação entre atores e espectadores na situação da performance. Possibilidades de contato, afetação e proximidade com ênfase na presença viva dos gestos humanos no contexto das artes cênicas: teatro, performance-arte, dança, arte circense e música. As apresentações acontecerão mensalmente às segundas e terças-feiras e, ao final do segundo encontro, haverá ainda uma conversa entre artistas, público e um convidado ou convidada especial.

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
YouTube
Instagram
X