Obra com fotos de papeleiro é destaque na exposição Os ODS na Virada

Acostumado ao anonimato no cotidiano, Jacson Carboneiro vem tendo, desde a Virada Sustentável 2019, o destaque que seu trabalho árduo merece. Papeleiro e morador da Vila dos Papeleiros na capital, Carboneiro e o fotógrafo Cristiano Sant’Anna trocaram de papeis por três meses ao longo do último ano e compuseram diversas fotos sobre a rotina da vida de um trabalhador da área em Porto Alegre-RS.

O projeto ganhou tamanho destaque que foi selecionado para a Virada Sustentável de Porto Alegre, dentro da mostra Os ODS na Virada – foram 13 artistas visuais selecionados ao todo. Desde o início de abril, a exposição chegou ao Centro Cultural da UFRGS. No dia 24 de abril às 9h, Jacson e Antonio Carboneiro, além do fotógrafo Cristiano Sant’Anna, estarão presentes no Centro Cultural para um bate-papo com alunos do curso de Museologia da UFRGS, onde abordarão o trabalho que fizeram e trarão ainda carrinhos de papeleiro de madeira.

Além da obra do papeleiro, outros quatro trabalhos com temática relacionada à Agenda 2030 da ONU embelezam a fachada do maior equipamento cultural da universidade, localizado no Campus Centro.

Agenda 2030 da ONU

A exposição, realizada em parceria com a equipe da Virada Sustentável 2019, leva em conta a Agenda 2030 da ONU em relação aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Os temas abordados nos trabalhos expostos no Centro Cultural são Igualdade de gênero (ODS 5), Redução das Desigualdades (ODS 10), Consumo e Produção Responsáveis (ODS 12) e Ação Contra Mudança Global do Clima (ODS 13).

Sobre a exposição Os ODS na Virada

Entre os selecionados está o pernambucano Eládio Ferreira, que tem como principais referências as obras de Vik Muniz e Joan Fontcuberta. O artista é engajado em causas ambientais e integrante do Projeto Route, que realiza ações ambientais no Brasil, nos EUA e em Portugal. Sua obra fará uma reflexão sobre consumo responsável e gestão de resíduos. Também foi selecionada a dupla de artistas Beto Rodrigues (fotógrafo) e Susie Prunes (fotógrafa e ceramista), com o projeto Pérola mãe. A obra mistura imagens e manejo de objetos pelo público, representando o respeito mútuo independente das crenças e a diversidade religiosa, alimentando o sentimento de fé e tolerância.

Manual do Condutor de Carrinho de Papeleiro é outra das propostas selecionadas, uma intervenção coletiva do artista Cristiano Sant’Anna, juntamente com os papeleiros Antônio e Jacson Carboneiro (pai e filho). Cristiano é fotógrafo e mestrando em poéticas visuais pela UFRGS. Jacson e Antônio trabalham com coleta e reciclagem na Vila dos Papeleiros, em Porto Alegre. Há um ano e meio, os três têm desenvolvido uma rotina de troca de experiências e saberes, em que se adotou a dinâmica da inversão dos papéis. O artista assumiu a função de “carrinheiro” – aquele que conduz o carrinho e faz a coleta nas ruas –, enquanto Jacson, com a câmera na mão, documenta a experiência e recebe aulas de fotografia. A obra vai abordar a redução das desigualdades e o consumo e produção responsáveis.

A publicitária e estudante de artes visuais Betina Nilsson foi selecionada com o projeto Minha Ciranda, que reflete sobre o feminismo e a sororidade feminina.

O Coletivo Criarte – formado por seis jovens artistas engajados em ações de arte urbana –propôs um trabalho sobre o ODS 13 – Ação Contra a Mudança Global do Clima. Redução do desmatamento, energias renováveis, gestão de resíduos, mobilidade sustentável e o Acordo de Paris são os temas que serão trabalhados pelo grupo, utilizando a técnica da pintura. O Criarte é composto por Ana Sacarceli, artesã e artista urbana desde 2012; Bruno Lade, artista visual e tatuador; Bruno Mendes, estudante de gestão ambiental e fotógrafo; Giuliano Lenuzza, também tatuador e artista urbano; Leandro Alves, artista plástico autodidata e artesão experimentado em intervenções urbanas e Venise Borges, jornalista que trabalha com artes gráficas, visuais e também realiza trabalhos em serigrafia artesanal.

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
YouTube
Instagram
X