Exposição comemora os 58 anos da Escolinha de Arte do Estado

Criado em 12 de abril de 1961, sob a denominação de Escolinha de Arte Infanto Juvenil de Porto Alegre, o Centro de Desenvolvimento da Expressão (CDE) chega ao Centro Cultural da UFRGS para a exibição de parte dos seus registros. A mostra Centro de Desenvolvimento da Expressão: 58 anos de Arte-Educação é composta por obras produzidas durante as atividades do CDE ao longo de mais de meio século de existência.

Um dos projetos vencedores do Edital nº 001/2018 do Centro Cultural da UFRGS, a exposição sobre a história da escolinha de arte do Estado é gratuita e estará aberta a visitações de 30 de abril a 11 de junho.

Visitação

  • Período: 30 de abril a 11 de junho
  • Horário: 9h às 19h
  • Local: Sala Nogueira, Centro Cultural da UFRGS
  • Aberto ao público

Sobre o CDE

O Centro de Desenvolvimento da Expressão (CDE) é uma instituição da Secretaria de Estado da Cultura de natureza educativa, artística e cultural, voltada à realização de cursos e oficinas destinadas ao público infantil, juvenil e adulto, orientados por professores e especialistas em arte e educação. Os alunos vivenciam a experiência estética por meio da expressão em diferentes linguagens em artes, como pintura, desenho, modelagem, gravura e confecção de bonecos. O Centro de Desenvolvimento da Expressão está localizado no quinto andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736).

Exposição
Centro de Desenvolvimento da Expressão – 58 anos de Arte-Educação

Entre pincéis, tintas e papéis, com mente,
mão e coração, o Centro de Desenvolvimento da Expressão (CDE), carinhosamente
conhecido como Escolinha de Arte, existe há 58 anos. Nesse tempo, o CDE vem
destacando-se como pólo catalisador de arte-educação no Rio Grande do Sul. Fez
casa em diversos espaços da nossa cidade, promovendo experimentação, criação e
integração a crianças, jovens e adultos, através de atividades com múltiplas
técnicas artísticas, como pintura, desenho, modelagem, cerâmica, xilogravura, têxtil,
escrita criativa, culinária, teatro e música. Marcou gerações – muitas das
quais percorreram seus ateliês da infância à idade adulta. Tem como princípios
incentivar o desenvolvimento da expressão criadora com liberdade e afetividade,
e assim, facilitar o afloramento do ser sensível e singular presente em cada
indivíduo.

Contar a trajetória do CDE, ilustrando fatos marcantes, expondo obras de diferentes décadas produzidas por sujeitos de diversas idades e propondo um espaço interativo que convida à participação ativa do visitante, é reafirmar a importância da arte como processo dinâmico e plural. Processo este que é representado na sua potência multifacetada – de espaços que propulsionam a livre-expressão por meio do encontro de diferentes materialidades e visualidades que se entrelaçam ao movimento de mudança e reflexão. Através do diálogo com as poéticas de diferentes manifestações criativas, o CDE segue contribuindo para a formação de indivíduos sensíveis, conscientes, críticos, capazes de desenvolver habilidades, buscar soluções e  transformarem sua realidade social e cultural.

Curadoria: Daniela Mei Lipp Nissinen e Kátia Vielitz Almeida

Deixe uma resposta

X