Programação de cinema traz terror italiano à Sala Redenção

Durante a semana de 15 a 19 de abril de 2019, a Sala Redenção – Cinema Universitário traz às telas a Mostra de Terror Giallo, com filmes de diretores consagrados como Sergio Martino e Mario Brava. Além da mostra italiana, a Sala Redenção proporciona aos amantes da sétima arte o clássico Em Busca do Ouro, de Charles Chaplin, na terça, 16, às 19h.

O projeto Espaços (Sub)traídos debate o assédio e o direito das mulheres ao espaço público com o documentário Chega de Fiu Fiu, dia 17, às 19h. Confira abaixo a programação completa da semana.

MOSTRA DE TERROR GIALLO

A sedução exercida da imagem é algo que muitos pensadores vêm se debruçando e tentando compreender melhor. Mas quando essa sedução vem permeada pela violência a questão se torna um pouco mais complexa e nos faz indagar sobre o papel da imagem em nosso mundo contemporâneo. A vertente do terror é o que mais se defronta com essa questão e o Giallo, a faceta italiana desse gênero, é talvez a que mais coloca em evidência essa questão da relação entre violência, imagem e beleza.

Inicialmente vindo da Literatura, o termo Giallo faz referência às revistas pulp que eram comercializadas na Itália, onde o subgênero teve seu estopim no início dos anos 1930. Tudo isso porque as capas desses livros eram amarelas, giallo, em italiano. É, também, uma espécie de movimento no qual suas histórias retratam preferencialmente assassinatos em série, no qual ou um detetive ou uma mulher se tornava a protagonista ao tentar descobrir quem realizou os crimes. Nas tramas, apenas no grande clímax final se é descoberto quem realmente foi o culpado, construindo uma tensão e perturbando o público ao longo da história.

É sempre importante relativizar o que representa socialmente uma imagem, ela não pode ser analisada simplesmente como verdade. Uma imagem sem contexto descamba inevitavelmente para o blefe. Por isso, contextualizar, analisar, criticar e relativizar são atos necessários para uma compreensão mais complexa acerca do papel que a imagem exerce na sociedade. A apropriação e a aceitação acrítica das imagens no mundo contemporâneo é um caminho para o desastre coletivo, pois não podemos esquecer o poder que as chamadas redes sociais e os mass media exercem em nossas vidas atualmente. A mostra contempla quatro realizadores do subgênero giallo: Mario Vava, Dario Argento, Lucio Fulci e Sergio Martino.

Seis Mulheres para o Assassino

Dir. Mario Brava | Italia | Terror | 1964 | 88min | Legendado

Isabella, uma jovem modelo, é assassinada por uma misteriosa figura mascarada numa Casa de Moda, pertencente a Condessa Cristiana. Quando o namorado de Isabela se torna suspeito do assassinato, o diário da vítima, contendo informações que relacionem a jovem ao assassino, desaparece. O mascarado passa então a matar todas as modelos da casa para encontrar o diário.

15 de Abril | Segunda-Feira | 16h

22 de Abril | Segunda-Feira | 19h

23 de Abril | Terça-Feira | 16h

26 de Abril | Sexta-Feira | 19h

Tenebre

Dir. Dario Argento | Italia | Mistério |  1982 | 110min | Legendado

O escritor Peter Neal chega à cidade de Roma para promover seu último livro, “Tenebre”, mas descobre que alguém está usando seus romances como inspiração para cometer assassinatos. Logo, ele se vê envolvido nos crimes e passa a tentar descobrir o provável assassino.

15 de Abril | Segunda-Feira | 19h

16 de Abril | Terça-Feira | 16h

23 de Abril | Terça-feira | 19h

24 de Abril | Quata-Feira | 16h

29 de Abril | Segunda-Feira | 16h

Uma lagartixa em corpo de mulher

Dir. Lucio Fulci | Espanha, França, Itália |1971 |104 min | Legendado

A filha de um respeitado político tem frequentes pesadelos com sua vizinha, uma mulher que passa suas noites em orgias. Certo dia, em um de seus pesadelos, a moça sonha que matou a vizinha. Quando esta aparece morta no dia seguinte, ela se torna a principal suspeita.

17 de Abril | Quarta-Feira | 16h

25 de Abril | Quinta-Feira | 16h

29 de Abril | Segunda-Feira | 19h

30 de Abril | Terça-Feira | 19h


No quarto escuro de Satã

Dir. Sergio Martino | Itália | 1972 | 96 min | Legendado

Baseado livremente no conto “ The Black Cat” de Edgar Allan Poe , o filme segue a tradição dos filmes italianos de horror dos anos 1970, misturando o sobre natural , com assassinatos, Luxúria e uma espetacular direção de fotografia barroca. A diva sueca do horror Anita Strindberg interpreta um dos seus personagens mais intensos.

18 de Abril | Quinta-Feira | 16h

22 de Abril | Segunda-Feira | 16h

25 de Abril | Quinta-Feira | 19h

26 de Abril | Sexta-Feira | 16h

30 de Abril | Terça-Feira | 16h

CLUBE DE CINEMA DE PORTO ALEGRE

Em busca do Ouro

Dir. Charles Chaplin | EUA | Mudo | 1925 | 96min | Legendado

No Alasca, Carlitos (Charles Chaplin) tenta a sorte como garimpeiro em meio a corrida do ouro de 1898. Lá ele conhece o gordo McKay (Mack Swaim), com quem cria bastante confusão após uma tempestade de neve, e se apaixona por uma dançarina (Georgia Hale).

16 de Abril | Terça-Feira | 19h

ESPAÇOS (SUB)TRAÍDOS

O Grupo de Pesquisa Identidade e Território (GPIT-UFRGS) e sala Redenção- Cinema Universitário apresentam a mostra  ESPAÇOS (SUB)TRAÍDOS. As inquietações urbanas que permeiam as pesquisas dos diversos integrantes do grupo dialogam com filmes produzidos pela cena audiovisual brasileira.

A ideia surge com intuito de fomentar o diálogo entre o público em geral e o meio acadêmico sobre a função da imagem cinematográfica como imagem poética. Tal imagem pode possibilitar uma outra visão de mundo, aquela que constrói a diversidade do espaço contemporâneo a partir da subtração, realçando o menos, o esquecido, o invisível.

As narrativas audiovisuais que integram a mostra Espaços (Sub)traídos pautam outras ordens que operam na produção do espaço. Serão dez sessões entre abril e dezembro de 2019, sempre às quartas-feiras. Entre os longa-metragens confirmados, estão Chega de Fiu-Fiu (Amanda Kamanchek, 2018, 73min), Ainda Orangotangos (Gustavo Spolidoro, 2008, 81min), Cio da Terra (Cacá Nazario, 2010, 42min), Antes que o mundo acabe (Ana Luiza Azevedo, 2010, 100min), Rifle (Davi Pretto, 2017, 98min), Hotel Cambridge (Eliane Caffé, 2017, 99min) entre outros. Todos os encontros propõem conversas após as exibições com debatedores convidados e o público presente.

Chega de Fiu-Fiu

Dir. Amanda Kamanchek | Brasil | Documentário | 2018 | 73min

As cidades foram feitas para as mulheres? O filme Chega de Fiu Fiu narra a história de Raquel, Rosa e Teresa, moradoras de três cidades brasileiras, que, por meio de ativismo, arte e poesia resistem e propõem novas formas de (con)viver no espaço público.

Após a sessão haverá um debate com as participações de Joanna Burigo e Lívia Koeche.

17 de Abril | Quarta-Feira | 19h

CINEMAS EM REDE

Viajo porque preciso, volto porque te amo

Dir. Marcelo Gomes, Karim Aïnouz| Brasil | Drama | 2009 | 71min

José Renato (Irandhir Santos) tem 35 anos, é geólogo e foi enviado para realizar uma pesquisa, onde terá que atravessar todo o sertão nordestino. Sua missão é avaliar o possível percurso de um canal que será feito, desviando as águas do único rio caudaloso da região. À medida que a viagem ocorre ele percebe que possui muitas coisas em comum com os lugares por onde passa. Desde o vazio à sensação de abandono, até o isolamento, o que torna a viagem cada vez mais difícil.

Após a Sessão Haverá debate em rede com os realizadores.

18 de Abril | Quinta-Feira | 19h

Deixe uma resposta

X