Posicionamento Editorial

O Jornal da Universidade (JU) é uma publicação da Secretaria de Comunicação Social da UFRGS (SECOM). Editado desde 1997, traz temáticas variadas, extrapola a divulgação e se torna lugar para o aprofundamento e reflexão. Enquanto publicação institucional,é um espaço de construção de imagem da Universidade como instituição voltada para o conhecimento e para o desenvolvimento cultural e científico.

O JU atua na elaboração de um modo bastante específico de conhecimento com vistas a alcançar um público amplo. Partilhando da cultura do campo jornalístico e, assim, nele se inserindo, busca posicionar-se como veículo de reportagem e de reflexão aprofundada. Procura, dessa forma, construir um posicionamento como publicação prestigiosa e de grande circulação e acesso fácil.

Nesse sentido, o JU partilha da missão da Universidade como geradora de conhecimento e transformação social, tal como estabelecido no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2016 – 2026). Tendo os princípios e valores instituídos no mesmo documento como norte, a publicação busca contribuir para que o conhecimento sobre a instituição universitária, de modo mais abrangente, e sobre a UFRGS, de modo mais específico, mantenha-se na ordem do dia e seja, assim, objeto de discussão na sociedade.

Engaja-se, portanto, na defesa do ensino superior público, gratuito, de qualidade, igualitário e inclusivo como um pressuposto essencial para a concretização do ideal democrático no Brasil. Por sua inserção na esfera estatal, o JU busca participar da construção de práticas, processos e produções que ajudem a qualificar a atuação do Estado e a percepção da sociedade sobre essas atividades.

Integrante da Secretaria de Comunicação Social, o JU atua, tal como proposto no Plano de Gestão da Universidade (2016-2020), no sentido de contribuir para a criação de uma imagem e de uma identidade institucional da UFRGS como promotora do diálogo e como agente protagonista da produção científica, artística e cultural.

No âmbito da comunicação interna, a publicação pretende servir como agente de mediação entre as instâncias da UFRGS e contribuir para a dinamização dos processos internos ao mesmo tempo que registra a evolução destes – uma forma de promover o relacionamento e a prestação de contas com a sociedade. Complementa com um viés interpretativo para a composição da memória da Universidade ao captar as temáticas que se sucedem na arena de debates – em diálogo, assim, com veículos e conteúdos mais noticiosos, veiculados em espaços como o UFRGS Notícias, no site institucional. 

Ao participar da construção desse discurso sobre a Universidade na esfera pública, o JU pretende incidir sobre a percepção que o conjunto da sociedade tem da instituição universitária, do serviço público e do Estado brasileiro, de modo a valorizá-los.

As atividades da UFRGS e sua inserção ativa na sociedade são elementos centrais para se criar a sensação de pertencimento na relação com a UFRGS e, assim, gerar impacto social: entre o público interno, o JU participa da conformação de um imaginário que crie uma sensação de comunidade partilhada da qual todos fazem parte; e, ante o público externo, busca estabelecer uma interação com a sociedade para que esta perceba a instituição como um bem pertencente ao conjunto dos cidadãos brasileiros.

A prática jornalística exercida pela equipe busca nortear-se pelos preceitos éticos do jornalismo e do serviço público. A transparência, por isso, é fundante dos processos e um norte a ser perseguido. Também a autorreflexão e a autocrítica constantes são entendidas como atitudes que visam manter a qualidade e a autonomia – ideais estes que buscam não só qualificar os produtos jornalísticos gerados, mas também contribuir para a percepção social do jornalismo e de seus fazeres e produtos como elementos socialmente relevantes.

Princípios

Serviço público, credibilidade, ética, objetividade, aprofundamento, diversidade, pluralidade, acessibilidade, representatividade, transparência, sustentabilidade

Valores

Desenvolvimento, justiça social, diversidade, inclusão, sustentabilidade, diálogo, igualdade socioeconômica, bem-estar, educação, cultura

Temáticas transversais

Direitos humanos, saúde mental, meio ambiente, indígenas, negros, LGBTs, PCDs, ensino público, gênero, artes, desenvolvimento científico e inovação