Gustavo Germano – A dolorosa presença da ausência


amestoy

A obra Ausenc’as (lê-se “ausências”), produzida pelo fotógrafo argentino Gustavo Germano é composta por 14 dípticos (pares de fotos), retratando 12 famílias de vítimas da ditadura civil-militar brasileira (1964-1985) e 2 famílias da ditadura argentina (1976-1983). Junto com as fotografias, o artista produziu um vídeo, que apresenta o processo de recriação das fotografias. A primeira versão do projeto Ausenc’as foi realizada na Argentina em outubro de 2007, tomando como marco os 30 anos depois do golpe militar de 1976, que deu início à última ditadura civil-militar daquele país. Partindo das fotos de álbuns familiares, Gustavo Germano acompanhou e fotografou familiares e amigos de mortos e desaparecidos políticos nos mesmos locais em que haviam sido fotografados anteriormente. Em condições similares, Gustavo destaca com as novas fotografias “a dolorosa presença da ausência do ser querido”.

Foram realizadas exposições tanto na Argentina como em outros países da América Latina, o que inspirou Gustavo a querer colaborar também na visibilização das vítimas de regimes de exceção e na luta pela Memória, Verdade e Justiça dos familiares de outros países. Iniciou, então, uma nova série fotográfica no Brasil e pretende estender seu trabalho especialmente entre os países latino-americanos que foram atingidos pela Operação Condor.

Em 2012, Gustavo Germano produziu a versão brasileira de Ausenc’as, viajando do Ceará ao Rio Grande do Sul, contando sempre com a cooperação dos familiares e amigos de desaparecidos políticos para recriarem seus álbuns de família. Segundo o fotógrafo, as imagens contrapostas permitem “ver as mudanças no entorno e o passar dos anos de um impossível paralelo de presença e ausência”. O projeto inicial foi realizado com o apoio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República do Brasil, o trabalho de produção foi da Associação ALICE e a coordenação geral ficou a cargo de Luciano Piccoli. A exposição, intitulada “Ausências Brasil”, foi realizada pela primeira vez no Arquivo Público do Estado de São Paulo, em agosto de 2013. (Fonte)

Germano procura tratar em sua poética sobre a questão dos mortos e desaparecidos políticos, para que esta possa ser percebida como um problema de todos os cidadãos brasileiros, e não somente dos familiares e de algumas organizações de direitos humanos. 

Algumas obras – Clique nas imagens para ampliá-las:

10gg 34glffn ARGENTINA1 expos-catalogo-web-fin3 expos-catalogo-web-fin15-e1429051177157 expos-catalogo-web-fin17 expos-catalogo-web-fin111

MAIS INFORMAÇÕES:

Gustavo Germano. Barcelona, 2013. © Marcelo Aurelio Gustavo Germano (Argentina, 1964)

Saiba mais em seu site oficial: www.gustavogermano.com
A
ssista a uma entrevista com o artista, clicando aqui.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>