Episódio 4

Carlota enfrenta assédio moral durante as eleições para presidente do diretório acadêmico. A situação piora quando, logo em sua primeira experiência de pesquisa científica, ainda na graduação, ela é forçada a ceder a autoria  principal do trabalho que tinha realizado em troca de uma vaga para fazer pesquisa no laboratório. Apesar da frustração, ela começa o mestrado em física.

Artigos usados para embasar a discussão neste episódio:

Artigos científicos sobre violência política de gênero

  • Flávia Biroli, “Violence against Women and Reactions to Gender Equality in Politics”, Politics & Gender , v 14 , 681 (2018)
  • Biroli, Flávia. 2016a. “Political Violence against Women in Brazil.” Direito & Práxis, v 7, 557 (2016).
  • Mona Lena Krook and Juliana Restrepo Sanín, “The Cost of Doing Politics? Analyzing Violence and Harassment against Female Politicians”, Perspectives on Politics, v 18, 740 (2019) 

 

Alguns números de assédio moral no Brasil

  • Celia Anteneodo, Carolina Brito, Alan Alves-Brito, Simone Silva Alexandre, Beatriz Nattrodt D’Avila, and Débora Peres Menezes, “Brazilian physicists community diversity, equity, and inclusion: A first diagnostic”, Phys. Rev. Phys. Educ. Res. 16, 010136 (2020)
  • Vilma Zotareli,   Anibal Faúndes,  Maria José Duarte Osis,  Graciana Alves Duarte,  Maria Helena de Sousa, “Gender and sexual violence among students at a brazilian university”, Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v 2, n 1 (2012) 
  • Cristiane Batista Andrade and Simone Gonçalves Assis, “Assédio moral no trabalho, gênero, raça e poder: revisão de literatura”, Rev. bras. saúde ocup. vol.43, e11. (2018).

 

Reportagens, sites, podcasts e relatórios

 

 

 

Acompanhe nossas redes sociais