Universidade colorida

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul está comemorando 85 anos. O processo de reunião das faculdades autônomas que já existiam na cidade ocorreu, portanto, 46 anos depois do final do período escravagista. Pessoas pretas ingressaram na UFRGS naquele período para executar tarefas manuais. É o caso de Aristides Timóteo Gonçalves, que me relatou ter trabalhado na construção do Salão de Atos em meados de 1950. Foi construindo, reformando ou cuidando de prédios que pessoas negras ingressaram na UFRGS.

Transcorre o tempo e mais pessoas negras ocupam a UFRGS. O grupo maior é formado por servidores técnico-administrativos. Como exemplo, cito o cantor e compositor Lupicínio Rodrigues, que foi bedel entre 1935 e 1947 na Faculdade de Direito. Segundo informação da intelectual, militante e professora estadual Vera Regina dos Santos Triumpho, o primeiro professor negro da UFRGS foi José Maria Viana Rodrigues. Essa referência consta do Calendário Vultos Negros no Rio Grande do Sul, produzido pela Secretaria Estadual da Educação do Rio Grande do Sul por ocasião do Centenário da Abolição em 1988.

Confira na íntegra o artigo da técnica administrativa, doutora em educação,  Maria Conceição Fontoura, no Jornal da UFRGS, clique aqui