Degeneração Hidrópica

– Degeneração hidrópica (edema celular ou degeneração vacuolar) é a primeira manifestação de quase todas as formas de dano celular. (Robbins & Cotran, 2015)

– É uma alteração reversível não-letal.

– O acúmulo intracelular de água ocorre pela incapacidade da célula de manter o equilíbrio iônico e a homeostasia de fluidos, em função de falha nas bombas dependentes de energia das membranas celulares.

– Quando ocorre em um órgão inteiro, este pode se apresentar pálido, com aumento do peso e turgor.

Exemplo:

DEGENERAÇÃO HIDRÓPICA EM PARÊNQUIMA HEPÁTICO

deg hidr6
Fígado, HE 10X.

 

Observe a seguir detalhe da imagem anterior, onde se identificam zonas de hepatócitos claros com edema celular circundando a veia centrolobular, enquanto os hepatócitos que circundam o espaço porta estão mais eosinofílicos.

deg hidropica2
Fígado, HE 10X.

A seguir, em maior aumento, hepatócitos hidrópicos com citoplasma claro e núcleo central, circundando veia centrolobular.

deg hidr5
Fígado, HE 50X.

 

Abaixo hepatócitos mais preservado circundando espaço-porta.

de hid3
Fígado, HE 50 X.

 

A seguir, em maior aumento, detalhe do edema celular hepatocitário, caracterizado por clareamento citoplasmático, manutenção do núcleo em uma posição central e distorção arquitetural dos cordões hepatocitários com compressão dos sinusoides.

deg hid2

deg hidro2
Fígado HE 400X.

 

Leia mais:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2740913/