Internacionalização

A internacionalização vem sendo um dos pilares da constituição e atuação do PPGAS/UFRGS. Em 2018, o PPGAS foi incluído, ao lado de outros 65 Programas de Pós-Graduação, no Projeto Institucional de Internacionalização da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PII-UFRGS ou PRINT UFRGS). Elaborado com base no Edital nº 41/2017-CAPES PRINT, o projeto será desenvolvido nos anos de 2019, 2020, 2021 e 2022 em diálogo com o Plano de Desenvolvimento Institucional 2016-2026 da UFRGS. Prevê a captação de projetos de pesquisa internacional, a promoção do acolhimento a visitantes estrangeiros, a promoção de publicações em diferentes línguas e o fomento da participação da UFRGS em processos de acreditação. Está estruturado em 96 projetos de interação distribuídos por oito grandes temas. O PPGAS contribui em seis destes oito temas, o que evidencia sua participação no processo de elaboração do PRINT UFRGS e o reconhecimento de seu potencial como beneficiário do projeto.

Para o PPGAS, a internacionalização é algo que se produz em muitas dimensões e em várias direções. No que concerne ao segundo aspecto, cabe ressaltar a concepção multicêntrica que inspira os investimentos e realizações do PPGAS, buscando valorizar vínculos com regiões consideradas centrais na história da produção antropológica sem deixar em segundo plano as relações com a América Latina e os diálogos Sul-Sul. Quanto às dimensões nas quais se efetiva a internacionalização, podem ser auferidas por meio de uma série de indicadores que situam o PPGAS/UFRGS entre os cursos mais reconhecidos internacionalmente. Entre estes indicadores, apontamos:

1) O investimento e a realização de acordos, convênios e projetos com instituições estrangeiras, articulando pesquisadores e instituições de diversos países que se associam para a realização de pesquisas e/ou que fazem parte de uma rede de trocas de informação, levantamento conjunto de dados empíricos, organização de eventos e outras atividades para compartilhar e divulgar resultados de produção científica.

2) A liderança do PPGAS na área de antropologia e ciências sociais no âmbito do Mercosul, que se expressa pela coordenação e participação de projetos de pesquisa, publicações, organização de eventos, mobilidades estudantis, redes de pesquisa, professores visitantes que se deslocam nos dois sentidos, a presença de alunos dos países da região no Programa.

3) Considerando outros países da América Latina, incentiva a participação em outras redes de colaboração, a realização de trabalho de campo em países vizinhos, a apresentação de propostas nos editais de pesquisador e professor visitante estrangeiro para colegas latino-americanos, o convite a pesquisadores latino-americanos para participarem nos eventos realizados no Programa, assim como o incentivo para docentes e discentes do Programa participarem em eventos em outros países da América Latina.

4) A cooperação com os países da África, especialmente Moçambique, Angola e Cabo Verde, que se efetua pela atuação de docentes e egressos do Programa na criação de programas de pós-graduação nestes países e sua integração como docentes e orientadores, pela presença de estudantes africanos no Programa, pelos projetos de cooperação acadêmica com realização de missões de trabalho e de estudo, pela publicação conjunta de artigos e coletâneas, assim como a realização de trabalho de campo nestes países.

5) O estímulo à mobilidade acadêmica por meio de estágios de doutorado sanduíche e de mestrado no exterior, seja os associados aos convênios e projetos de cooperação, estabelecidos entre o PPGAS/UFRGS e outros centros de ensino e pesquisa, seja os obtidos por meio de seleção para editais específicos da CAPES.

6) A expansão de convenções de cotutelas de doutorado com parceiros estrangeiros, consolidando o reconhecimento que o Programa tem obtido em nível internacional.

7) O incentivo à publicação docente e discente em periódicos com qualificação e abrangência internacionais, assim como em livros e coletâneas com impacto no campo científico.

8) A discussão de temas contemporâneos na pesquisa desde uma abordagem interdisciplinar por meio de eventos científicos, de palestras e conferências e de convites a pesquisadores de ponta na área para participarem de atividades de ensino e de bancas de defesa no Programa.

9) A presença em eventos internacionais, não apenas com a apresentação de trabalhos por docentes e discentes (conforme as dezenas de registros de produção intelectual), mas também com a organização de atividades, como mesas redondas e grupos de trabalho.

A internacionalização sustenta-se na participação do Programa, por meio de seus professores e alunos, em projetos, grupos e redes de pesquisa no Brasil, exercendo, em muitas dessas instâncias, papel de liderança e protagonismo. Para detalhes, ver os itens Intercâmbios e Relatórios Anuais.

 

Intercâmbios nacionais

O Programa participa, por meio de seus professores e alunos, de projetos, grupos e redes de pesquisa, exercendo, em muitas dessas instâncias, papel de liderança e protagonismo. Os formatos destes intercâmbios podem assumir um caráter mais interinstitucional, como os projetos, mais permanente, como os grupos, ou mais aberto, como as redes. Em seguida, destacamos alguns destes intercâmbios, apresentando-os a partir dos formatos que eles adquirem na prática acadêmica (projetos, grupos de pesquisa e redes), tendo presente, no entanto, que estes formatos se sobrepõem e se articulam mutuamente.

Projetos

Os PROCADs, além de se apresentarem como uma ação de inserção social, também se apresentam como mediadores de intercâmbios nacionais. Os três PROCADs recentes do Programa estabeleceram condições propícias para o desenvolvimento de intercâmbios intensos entre as universidades envolvidas: UFPA, UFBA, UFG e UFSC. A efetivação de missões de trabalho e de estudo, com mobilidade de professores e estudantes de pós-graduação e graduação entre estas instituições, a realização de eventos científicos e ofertas de disciplinas e cursos de curta duração, assim como as publicações que resultaram desses intercâmbios ainda reverberam no PPGAS. Isso se expressa na presença de docentes dessas instituições em eventos do PPGAS, em colaborações na organização do Congresso da IUAES que ocorreu em 2018 na UFSC, na procura do PPGAS por candidatos que fizeram sua graduação ou seu mestrado na UFPA, na UFBA, na UFG ou na UFSC.

O PPGAS/UFRGS, por meio do Núcleo de Antropologia das Sociedades Indígenas e Tradicionais (NIT) participa do “Programa Rede de Saberes Indígenas na Escola- Núcleo UFRGS” e desenvolve, neste projeto, consultoria e apoio à publicação de materiais didáticos em colaboração com os povos Kaingang e Guarani.

Grupos de pesquisa

O Programa mantém um intercâmbio com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Corpo e Saúde da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) para promover pesquisas, publicações e organização de eventos, entre os quais se destaca o “Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos”, realizado anualmente. Em 2018, houve a sua décima edição, realizada no Rio de Janeiro, que marcou a consolidação de laços com o Núcleo de Antropologia das Emoções, coordenado pela profa. Maria Claudia Coelho (UERJ). Do evento participaram outros discentes e docentes da UERJ, da UFRGS e da UFSM, além de Luiz Fernando Dias Duarte (MN/UFRJ), que fez uma das conferências. No âmbito dessas iniciativas, o PPGAS/UFRGS realiza uma colaboração em pesquisa com o GEPACS/UFSM, através de uma docente, por meio do projeto de pesquisa: “A Tragédia da Boate Kiss: Dor, Sofrimento e Evento Crítico em Santa Maria, RS”.

Um intercâmbio institucional entre o PPGAS/UFRGS e várias outros (Programa de Ensino de Ciências da UFRPE, Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMG, Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRN, Programa de Pós-Graduação em Educação Física da UFSE) mantém o Grupo de Pesquisas “SobreNaturezas”, que reúne professores, alunos de pós-graduação e de graduação e pós-doutorandos para desenvolver pesquisas e atividades de ensino e extensão na área da antropologia e da educação ambiental. O grupo realiza reuniões quinzenais de estudo e pesquisa, promove eventos científicos e articula uma rede de pesquisadores ampla, de diversas universidades. O grupo também está inscrito no diretório do CNPq como o grupo de pesquisa “Cultura, Ambiente e Percepção”, a partir do qual articula uma rede mais extensa de pesquisadores e instituições em âmbito nacional. Em 2018, o grupo participou do seminário intensivo de 30 horas (realizado de 05 a 09 março), ofertado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMG para os alunos daquele Programa. O seminário foi denominado “Leituras de Christina Toren” e contou com uma equipe de professores brasileiros atuando juntamente com a professora visitante Christina Toren (Universidade de St Andrews, Escócia). Dessa equipe fez parte, além da pesquisadora vinculada ao PPGAS/UFRGS, uma docente do PPGAS/UFPB e outra do PPGAS/Universidade Federal de São Carlos. Na UFRGS, em março de 2018, houve o evento comemorativo “SobreNaturezas: aprendizagens, culturas e ambientes - 10 anos do Grupo de Pesquisa”, que reuniu cerca de 30 participantes, entre alunos, professores e pesquisadores, além de trazer Christina Toren para proferir a aula inaugural do PPGAS.

Um dos docentes do PPGAS lidera o MARES – “Religião, arte, materialidades e espaço público: grupo de antropologia”, registrado no Diretório do CNPq, que reúne alunos e pesquisadores de várias universidades brasileiras: USP, UERJ, UFRJ, UNICAMP e UNIPAMPA. O grupo esteve presente na RBA de 2018 com a realização de uma Mesa-Redonda e de um Grupo de Trabalho.

Professores e alunos do Programa participam do grupo de pesquisa Antropologia da Economia e da Política (GAEP) em parceria com a PUC-RS e realizam investigações, promovem seminários, publicações e atividades em eventos científicos da área sobre as dinâmicas sociais e as lógicas culturais atinentes à economia e à política. Em 2018, houve reuniões quinzenais dos membros do grupo.

O Programa realiza intercâmbios por meio de seus núcleos e grupos de pesquisa que integram, entre seus participantes, professores e estudantes de outros programas de pós-graduação e de cursos de graduação das universidades do estado do Rio Grande do Sul. Destacamos a participação de pesquisadores da UFPel (Universidade de Pelotas) nos núcleos do PPGAS/UFRGS: NIT, no NACi e no NAVISUAL. Professores e estudantes da Unisinos e da PUC-RS participam dos núcleos do PPGAS/UFRGS: NER, do NACi e do GAEP. Professores do IFRS (Instituto Federal do Rio Grande do Sul) de Osório/RS e Porto Alegre/RS, da Economia (UFRGS), das Artes (UFRGS) da Museologia (UFRGS) participam do Navisual e do BIEV.

Um docente do PPGAS é Pesquisador Associado ao CEBRAP - Centro Brasileiro de Análise e Planejamento - São Paulo - Núcleo Religião no Mundo Contemporâneo. Outra docente é coordenadora do GT Gênero e Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). Um bolsista PNPD integra, desde fevereiro de 2018, o Grupo de Pesquisa Gênero, Juventude e Cartografias da Diferença, junto à Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR, campus Pato Branco), tendo participado de reuniões do grupo.

O Programa realiza intercâmbio de consultoria e parceria, por meio do Navisual e BIEV, com o NAVI, Núcleo de Antropologia Visual da UFSC. Destaca-se a participação de ambos os núcleos na coordenadoria das atividades visuais (exposições fotográficas e publicação de relatório) no 18º Congresso Mundial IUAES. O Navisual mantém parceria e atividades conjuntas com o Laboratório de Antropologia Visual em Alagoas - AVAL – e com o Laboratório da Cidade e do Contemporâneo, da Universidade Federal de Alagoas - LAAC/CSO/UFAL. Em 2018, o Navisual recebeu para estágio capacitação a Professora Fernanda Rechenberg, pesquisadora do AVAL. O Programa, por meio do Navisual, BIEV e NUPECS, mantém parceria com o Laboratório de Antropologia e Imagem da Universidade Federal do Ceará e com a UFPA. Em 2018, a UFPA campus Bragança criou o prêmio Cornelia Eckert para melhor ensaio fotográfico e filme etnográfico e a docente do PPGAS desenvolveu conferência de abertura no evento em dezembro 2018. Estas parcerias incluem consultorias, realização de eventos e publicações conjuntas entre estas instituições participantes. Por fim, o Banco de Imagens e Efeitos Visuais do PPGAS/UFRGS tem parceria de pesquisa com o Grupo de Metropolização e Desenvolvimento Regional da FEEVALE.

A realização da quinta edição do Seminário Mapeando Controvérsias Contemporâneas, com o tema “ecologia, saúde e biossegurança”, organizado pelo GEMMTE, também oportunizou a visita de pesquisadores de outras instituições do Brasil e do Exterior ao PPGAS e ajudou na consolidação de redes de pesquisa. Estiveram envolvidos: Debora Diniz (UnB), Joana Cabral de Oliveira (Unicamp), Rozeli Porto (UFRN), Soraya Fleischer (UnB), Cristiana Bastos (Universidade de Lisboa - Portugal), Frédéric Kéck (LAS-EHESS/Musée du Quai Branly - França), Alex Nading (Brown University - Estados Unidos), Carlo Caduff (King’s College London - Inglaterra), Andrea Mastrangelo (UNSAM - Argentina), María Carman (UBA - Argentina).

Redes

O PPGAS/UFRGS continua a integrar, desde 2017, a rede de pesquisa “Povos Originários e Diaspóricos: epistemologias e territorialidades”, sediada no ILEA/UFRGS, que tem por objetivo geral produzir, sistematizar e divulgar conhecimento científico-artístico ameríndio e afrodiaspórico a partir de diálogos interculturais, interepistêmicos, interidisciplinares e interinstitucionais, promovendo o protagonismo de mestres e estudantes representantes de povos originários, afro-descendentes e populares/tradicionais da América Latina. A rede promove ações dentro e fora do âmbito acadêmico. Integram a rede, no âmbito nacional, instituições do Rio de Janeiro, de São Paulo e do Rio Grande do Sul: a Fundação Roquette Pinto, o Planetário do Rio de Janeiro, a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), a Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), a Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). As instituições participantes estrangeiras que compõem a rede são variadas e estarão descritas adiante no relatório. A rede tem como parcerias o Coletivo Traço (UFPR), o Grupo de Estudos Musicais (GEM – PPGMUS/UFRGS), o Grupo de Pesquisa Letras e Vozes Anticoloniais (PPGLetras/UFRGS), o Museu da UFRGS, o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros, indígenas e africanos (NEAB/UFRGS), o Núcleo de Antropologia das Sociedades Indígenas e Tradicionais (NIT/UFRGS), o Núcleo de Etnologia Ameríndia (NETA/UFPel), o Observatório Astronômico da UFRGS e a Rede de Saberes Indígenas na Escola (SECADI/MEC).

A Rede Animalia - que realiza pesquisas sobre relações humano-animais na área das Ciências Humanas - teve o seu projeto de renovação aprovado para o biênio 2018-2019. Ela tem apoiado atividades do GEMMTE e do Espelho Animal, como os seminários Mapeando Controvérsias Contemporâneas. Participam, além dos pesquisadores da UFRGS, pesquisadores das seguintes universidades: UFPR, UFPE, UFRN, UnB, UFRBA, UFSCar, UERJ, PUC-RS.

O Navisual e BIEV participam da Rede de Pesquisadores de Antropologia Visual (Brasil). Por meio dela, o Programa está inserido numa rede de amplas dimensões, que articula os núcleos de Antropologia visual dos Programas de Pós-Graduação e Antropologia e Ciências Sociais no país, incluindo UFPB, UFPel, UFSC, USP, UFRJ, UERJ, UFRN, UFGO, UFAM, UFPA, UFPR, UFF, UnB, UFMG, UFBA, UFPI, UFMA, UFPE, UFAL, UFSE e UECE.  Os participantes da rede desenvolvem pesquisas conjuntas, prestam consultorias na área, apoiam grupos iniciais de Antropologia, realizam eventos específicos e organizam atividades em congressos gerais de antropologia, publicam em coautoria e organizam coletâneas conjuntas. Essa rede também assume a coordenação da Comissão de Antropologia Visual da Associação Brasileira de Antropologia. Em 2018, o Navisual do PPGAS/UFRGS recebeu o professor Flavio Leonel da Silveira (UFPA) em estágio de pós-doutorado e a professora Fernanda Rechenberg (UFAL) em estágio capacitação.

O Programa está inserido, por meio do Grupo de Pesquisa Ciências na Vida, na Rede Nacional de Pesquisa sobre Antropologia da Ciência e da Tecnologia, formada por pesquisadores e estudantes de pós-graduação da Universidade de Brasília, da Universidade Estadual de Campinas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade de São Paulo entre outras. A rede realiza pesquisas, produz publicações e organiza eventos específicos e atividades conjuntas nos principais eventos internacionais de antropologia no país e no exterior. A rede nacional mantém uma articulação com redes de outros países, especialmente do Mercosul. É responsável pela realização das Reuniões de Antropologia da Ciência e da Tecnologia, que em 2015 foi sediada pelo PPGAS/UFRGS em Porto Alegre. Uma das docentes que participa do Grupo e da Rede também atua em atividades da Associação Brasileira dos Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias - ESOCITE/BR, mais especificamente em autoria de capítulo da coletânea que está sendo preparada sobre o campo no Brasil, em fase de publicação.

Através de um docente, o Programa está associado ao Laboratório de Antropologia da Ciência e da Técnica - LACT do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UnB, realizando ações conjuntas em termos de proposição de grupos e mesas de trabalho em reuniões científicas. Este docente também é pesquisador do GrupCiber - Grupo de Pesquisas em Antropologia do Ciberespaço (sediado na UFSC), desenvolvendo atividades conjuntas. O mesmo docente é Diretor Científico da ABCiber - Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura.

Deve-se dar destaque à participação de uma docente do PPGAS em projeto em parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp) e a Universidade de San Diego, intitulado Viabilidade e Aceitabilidade do Autoteste do HIV em Espaços Comunitários - Projeto FAST (Feasibility & Acceptability of HIV Self-Testing in Community Venues). Este projeto tem financiamento do Edital “International Pilot Grant Application, Center for Aids Research, University of California San Diego”, tendo sendo ainda aprovado para financiamento nos editais Chamada MCTIC/CNPq Nº 28/2018 e Chamada CNPq/MS-DIAHV Nº 11/2018.

Na área dos estudos sobre religião, destaca-se a existência de duas redes importantes de pesquisa: a primeira está articulada a partir do Instituto de Estudos da Religião (sediado no Rio de Janeiro) e da revista Religião e Sociedade (editada pelo ISER, tendo um docente do PPGAS como coeditor ao lado de duas docentes de outros Programas), com a participação de pesquisadores do PPGAS/UFRGS. A segunda rede se articula em torno das Ciências da Religião, por meio de pesquisas, presença em eventos e publicações conjuntas. O NER recebeu em 2018, em estágio de pós-doutoramento, Marcelo Moura Mello, professor do PPGA/UFBA.

No que se refere à área temática de sofrimento social e violência, o PPGAS/UFRGS estabelece, através de uma docente, rede de colaboração de ensino e pesquisa com o Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais PPCIS/UERJ, com o Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da UFSM e com o Núcleo de Pesquisas em Ecosanitarismo – NUPECOS - da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Esta rede de colaboração envolve permanente intercâmbio acadêmico e promoção de Grupos de Trabalho, Mesas Redondas e Simpósios em eventos da área, além da realização da já relatada décima edição do Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos, em setembro de 2018, no Rio de Janeiro. O NUPACS recebeu em 2018, em estágio de pós-doutoramento, o professor Esmael Oliveira (Universidade Federal da Grande Dourados), que co-ministrou um tópico especial no PPGAS e participou de várias aulas da graduação em Ciências Sociais ao longo do ano.

O PPGAS/UFRGS integra, através das pesquisas de uma docente, a Rede Alimentação e Cultura (sediada na FIOCRUZ) que, continuamente, reúne pesquisadores do tema da antropologia da alimentação na proposição de mesas redondas e grupos de trabalho em reuniões científicas. No âmbito da temática do corpo e sexualidade, dois docentes do PPGAS/UFRGS colaboram para o Centro Latino Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (sediado na UERJ), que tem como finalidade principal produzir, organizar e difundir conhecimentos sobre a sexualidade na perspectiva dos direitos humanos e edita a revista Sexualidad, Salud y Sociedad.

Docentes do PPGAS/UFRGS também participam de outras três redes: Rede de Saberes Indígenas na Escola - Núcleo UFRGS (que integra o Programa Nacional dos Territórios Etnoeducacionais no seu eixo Pedagogias Diferenciadas e Uso das Línguas Indígenas), cuja ação será detalhada no item “Interfaces com a Educação Básica”; Rede de Pesquisa em Sustentabilidade na Mineração, sediado na UFRGS com a articulação de pesquisadores de diferentes áreas no Brasil, que visa criar uma parceria de pesquisa na temática de sustentabilidade voltada à mineração; o Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED-RS) da UFRGS.

Uma docente do PPGAS participa em rede de interlocução interinstitucionais que articulam as coordenadorias das ações afirmativas em distintas universidades. Essa rede foi formada a partir da Reunião de Antropologia do Mercosul de 2017.

Outras informações relevantes

Vale ainda registrar a participação de docentes do PPGAS/UFRGS em iniciativas e ações que também representam formas de intercâmbio, uma vez que sempre expressam de colaborações com pessoas e instituições de outras universidades e centros de pesquisa:

A Coleção Entremeios da Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul é coordenada por dois docentes do PPGAS/UFRGS e outro da Unisinos, além de colegas de outras universidades – UFMG, UFSC, UFSM, UFSCar, UFPR, UFBA e UFRJ – que compõem o seu conselho científico. Em 2018, a Coleção publicou o livro Negros devires: seguindo as trajetórias das negritudes materiais na Bolívia (2018), resultado de uma dissertação de mestrado defendida no PPGAS/UFRGS.

Vários docentes do PPGAS/UFRGS coordenaram, em parceria com colegas de outros estados, mesas e grupos de trabalho na Reunião Brasileira de Antropologia, ocorrida em dezembro de 2018, em Brasília; dois docentes participaram da comissão científica do congresso da Associação Brasileira de História das Religiões, realizada em Florianópolis em 2018.

Um docente do PPGAS organizou, em parceria com colegas, dossiês em revistas externas ao Programa: o dossiê sobre Peregrinações e Turismo Religioso para a revista Revista Estudos de Religião (UMESP).

A expressão desta inserção do Programa em redes nacionais de colaboração encontra-se no contato de docentes e discentes com pesquisadores e professores de outras universidades e/ou programas de pós-graduação. Na lista de eventos realizados pelo PPGAS ou com seu apoio pode-se ter uma medida dos contatos provocados por suas atividades. A seguir, destacamos uma dimensão desse contato, ainda não mencionada, que ocorre por conta da participação e da vinda de convidados de instituições brasileiras na composição de bancas de conclusão de curso. Em 2018, 33 professores, pesquisadores e profissionais convidados de instituições brasileiras participaram de bancas de defesa no PPGAS/UFRGS Tais profissionais estão descritos abaixo, segundo instituição de origem: Maria Rita Cuervo (PUCRS), Lúcia Helena Alves Muller (PUCRS), Cesar Gordon (UFRJ), Luís Fernando Laroque (UNIVATES), Esmael Alves de Oliveira (UFGD), Maria Rosário Gonçalves Carvalho (UFBA), Luiz Fernando Dias Duarte (MUSEU NACIONAL/UFRJ), Soraya Fleischer (UNB), Renata de Castro Menezes (UFRJ), Carmen da Silva Rial (UFSC), Luciele Comuello (UERGS), Eugênia Motta (IESP/UERJ), Rachel Aisengart Menezes (UFRJ), Ciméa Barbato Bevilaqua (UFPR), Glória Diógenes (UFC), Marilda Menezes (UFABC), Theophilos Rifiotis (UFSC), Marluza Marque Harres (UNISINOS), Manuel Ferreira Lima Filho (UFG), Ana Maria Rabelo Gomes (UFMG), Marcela Coelho de Souza (UNB), Fernanda Bittencourt Ribeiro (PUCRS), Debora Diniz Rodrigues (UNB), Alex Vailati (UFPE),  Mônica Lafare (PUCRS), Claudia Turra Magni (UFPEL), Monalisa Dias de Siqueira (UFSM), Luz Stella Rodríguez Cárceres (UFRJ), Sergio Luiz Carrara (UERJ), Ana Cristina Osterman (UNISINOS), Rosana Pinheiro-Machado (UFSM), Fernando Rabossi (UFRJ), Antonella Tassinari (UFSC), Maria Paula Prates (UFCSPA).

 

 

Intercâmbios internacionais

Modalidades

Os intercâmbios internacionais são apresentados segundo os dois formatos: o primeiro, são os intercâmbios bilaterais que se formalizam em convênios de cooperação que envolvem mobilidade de professores e estudantes, convenções de cotutela, convites para palestras, conferências, aulas inaugurais, bancas de defesa de teses. O segundo são os intercâmbios multilaterais, articulando pesquisadores e instituições de diversos países que se associam para a realização de um projeto internacional de pesquisa e/ou que fazem parte de uma rede de trocas de informação, produção conjunta de dados empíricos, organização de eventos e atividades para compartilhar e divulgar resultados de pesquisa.

Os intercâmbios multilaterais serão apresentados em três modalidades: projetos, grupos e redes.

Os intercâmbios bilaterais serão apresentados nas modalidades referentes aos países com instituições conveniadas.

1. Projetos

Em 2017 houve a aprovação de um docente do PPGAS/UFRGS como Visiting Professor no Center for Latin American and Caribbean Studies da Brown University (Estados Unidos), em atividades a serem desenvolvidas no ano de 2018. Como resultado dessa interação com a Brown University foi elaborado também um projeto multilateral, com vigência a partir de 2018, intitulado:  "The mosquito policies: performing epidemics in Latin America and the Caribbean". Este é um projeto que contará com a participação dos pesquisadores: Alex Nading (Brown University, Estados Unidos), Luísa Reis Castro (MIT, Estados Unidos), Andrea Mastrangelo (Universidad Nacional de San Martin, Argentina) e Jean Segata (UFRGS, Brasil).

2. Grupos

Integrantes do Programa participam dos Grupos “Religião e Cultura” e “Religión, neoliberalismo y poscolonialidad” do Conselho Latino Americano de Ciências Sociais (CLACSO). Ambos articulam uma extensa rede de pesquisadores que trabalham na interface entre religião, política e cultura na América Latina. Em 2017 um docente esteve em Buenos Aires para participar da reunião anual e seminário de pesquisa do Grupo que se realizou na Universidade de Buenos Aires de 20 a 24 de novembro. Em 2018, dois docentes estiveram em eventos similares, um em Buenos Aires e outro em Santiago do Chile.

Professores do Programa participam do Groupe de Recherche sur les Imaginaires Politiques et Religieux de l´Amérique Latine (GRIPAL), sediado na Universidade de Quebec em Montreal/Canadá. O grupo articula uma rede internacional de cientistas sociais que realizam pesquisas sobre religião e política na América Latina, na qual um docente do Programa está inserido e efetivamente participando das redes de colaboração desde 2016.

O PPGAS, através de pesquisador vinculado ao Núcleo de Antropologia das Sociedades Indígenas e Tradicionais, integra o “Grupo de Trabalho pelo Pluralismo Jurídico em América Latina (Prujula)” – composto por antropólogos, sociólogos e advogados de Argentina, Bolívia, Peru, Chile, Colômbia, Guatemala, México e Panamá.

3. Redes

Professores e estudantes Programa mantêm relações de colaboração com os pesquisadores vinculados à Associação de Cientistas Sociais da Religião do Mercosul (ACSRM). A ACSRM constitui uma rede de pesquisa que integra cientistas sociais da religião de toda a América Latina. Há uma intensa interação entre os pesquisadores desta rede com publicações em coautoria, organização de eventos, pesquisas compartilhadas. O periódico Ciencias Sociales y Religion/Ciências Sociais e Religião, publicação científica da ACSRM, está sediado no Programa desde o ano 2000. Em 2018, ocorreram as XVIII Jornadas sobre Alternativas Religiosas da América Latina, na cidade de Santiago do Chile. Um docente do PPGAS esteve presente, coordenando um GT com colegas do México e do Uruguai e participando de mesas com colegas do Brasil e da Argentina. A presidência (2018-2020) foi assumida por um egresso do doutorado do PPGAS/UFRGS.

O PPGAS/UFRGS integra, a partir de 2017, a rede de pesquisa “Povos Originários e Diaspóricos: epistemologias e territorialidades”, sediada no ILEA/UFRGS, cujo objetivo é produzir, sistematizar e divulgar conhecimento científico-artístico ameríndio e afrodiaspórico a partir de diálogos interculturais, interepistêmicos, interidisciplinares e interinstitucionais, promovendo o protagonismo de mestres e estudantes representantes de povos originários, afro-descendentes e populares/tradicionais da América Latina. Integram a rede, no âmbito nacional, variadas instituições (já descritas anteriormente neste relatório no âmbito das redes nacionais do PPGAS/UFRGS). As instituições participantes estrangeiras que compõem a rede são a Universidad Nacional de Buenos Aires (Argentina), a Universidad Nacional del Nordeste (Chaco/Argentina), a Universidad del Cauca (Colômbia), a Benemérita Universidad Autonoma (México).

Através de uma docente, o Programa integra a RIMAAL – “Red de Investigacion Interdisciplinaria sobre el Mundo Árabe y America Latina”, que é uma rede acadêmica transnacional criada com a finalidade de reunir e difundir trabalhos acadêmicos, em espanhol, árabe, português francês e inglês. A rede também objetiva investir na difusão das pesquisas para o público mais amplo, através de eventos culturais e é formada por pesquisadores do Brasil, México, Argentina, Peru, Chile, Cuba, Colômbia, Venezuela e Uruguai.

O Programa integra a Associação de Universidades do Grupo Montevidéu, que é uma rede de Universidades públicas, autônomas e autogovernadas da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai que pretende contribuir para a formação de recursos humanos de alto nível, através de intercâmbio de docentes e discentes, bem como do desenvolvimento de projetos comuns.

O Programa integra, através de uma docente, o Foro Latinoamericano de Antropología del Derecho (FLAD), inaugurado em 2015, o qual articula pesquisadores da área de antropologia do direito nos países do México, Argentina e Brasil. O Fórum tem como missão a articulação de pesquisadores de instituições latino-americanas, cujos projetos de pesquisa estão focados no uso de abordagens etnográficas, qualitativas e comparativas, a respeito das burocracias estatais e de processos institucionais de gestão de modos de regulação dos direitos, conflito e violência.

O Programa integra, através de uma docente, a “Rede de Pesquisadores sobre Culturas Alimentares”, a qual desenvolve pesquisas conjuntas com pesquisadores da França e da Espanha, organiza eventos científicos e atividades nos principais eventos da área, organiza publicações diversas sobre o tema e presta consultorias na área da segurança alimentar. A rede está também em contato com a International Commission of Anthropological Food, à qual a docente do PPGAS também está vinculada. A mesma docente participa do projeto de pesquisa DIAITA voltado ao estudo aprofundado e interdisciplinar da história e da cultura da alimentação, em Portugal e no Brasil. Em 2018, a rede organizou o V Colóquio DIAITA de História e Culturas da Alimentação, com o tema "Patrimônio Alimentar, Turismo Sustentável e Saúde", na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, entre 25 e 27 de outubro.

No que se refere à área de antropologia do corpo e da saúde, houve a consolidação de parcerias institucionais e redes de pesquisa por meio do trabalho conjunto com as pesquisadoras Alejandra Roca, da Universidade de Buenos Aires, e Jane Russo, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, visando à realização do número temático da revista Horizontes Antropológicos, intitulado “Gênero e sexualidade, saberes e intervenções”, publicado em janeiro de 2017. Tais parcerias têm continuidade com a organização de mesas e grupos de trabalho em eventos internacionais em propostas que cruzam a temática de gênero com a antropologia da ciência.

O PPGAS participa da Rede de pesquisa Luso-Brasileira de Artes e Intervenções Urbanas – RAIU. No Brasil a rede é formada especialmente por pesquisadores da UFC, da UFRN e da UFPR, com as quais mantém articulações com universidades de países lusófonos. No âmbito dessa rede, uma docente do PPGAS coorganizou um dossiê na revista portuguesa Vista. A mesma docente participa da Rede “Todas as Artes Todos os Nomes”, que se propõe a ser uma rede de redes das paisagens das artes, de natureza horizontal, descentralizada e formada por múltiplos atores e linguagens em terras brasileiras, portuguesas ou africanas. A docente do PPGAS participou de reunião da Rede em 2018, ocorrida em Fortaleza.

O PPGAS participa de discussões sobre antropologia do turismo por meio de um docente que lidera o Grupo CulTus (Cultura e Turismo). Registrado no diretório do CNPq, o grupo congrega pesquisadores brasileiros e estrangeiros com interesse em estudos sociais sobre o turismo. No 18th IUAES World Congress, em Florianópolis, em 2018, o CulTus (Cultura e Turismo) organizou um painel sobre pesquisas antropológicas sobre turismo, com a participação do antropólogo estadunidense Nelson Graburn, que em 2007 foi Professor Visitante no PPGAS/UFRGS.

O PPGAS participa do Invitational Seminar on Research Development in Environmental Education. Este é uma rede que articula professores pesquisadores de várias universidades da Europa, Austrália, África do Sul e América do Sul, que se reúne, a cada dois anos, desde 1993, em torno do tema da educação ambiental. Uma das pesquisadoras do PPGAS participo deste Grupo desde o 13o. Invitational Seminar, que aconteceu no Brasil em 2015. Em 2018 esta pesquisadora e um professor permanente do Programa participaram do 14o. Invitational Seminar, que reuniu 20 pesquisadores em Stellenbosch, África do Sul, para discutir o tema: “Critical environmental education and the (post) human condition”. Decorre deste último encontro a organização em curso de um número especial do Journal Environmental Educational Research (Taylor&Francis).

O Programa participa da rede Abya Yala: Epistemologias Ameríndias em Rede, que possibilita a articulação de pesquisas que vem sendo desenvolvidas em instituições de ensino superior do Brasil, Uruguai, Colômbia, Peru, México e Canadá. A rede, que se conecta a partir do ILEA-UFRGS, vem promovendo a discussão interdisciplinar e multidisciplinar das relações entre modos de aprendizagem e processos educativos ameríndios e suas correspondentes sócio-mito-cosmo-ontologias. Participam as seguintes instituições: UFRGS, UFPel, ULBRA, UNISC, UFG, UEMS, Instituto Terciario de Formación Docente (Durazno) y Museo Casa de Rivera (Uruguai), Universidad Nacional de Juliaca (Peru), Universidad del Cauca (Colômbia), Benemérita Universidad Autonoma (México) e Université de Montréal (Canadá). Em 2018, eventos organizados pelo PPGAS na área de etnologia se beneficiaram da existência dessa rede, em especial a III Mostra Tela Indígena de vídeos e filmes sobre a temática ameríndia (13 a 17 de Setembro).

O PPGAS também coopera academicamente com o projeto "Cultura, Subjetividade e Emoções", integrante do Projeto de Internacionalização da UERJ contemplado no âmbito do Edital CAPES PrINT. O projeto propõe a criação de uma Rede Iberoamericana em Antropologia das Emoções e tem como parceiros internacionais o ISCTE-IUL (Portugal), a Universidade de Buenos Aires (Argentina) e o Instituto del Desarrollo Económico y Social (Argentina). A participação do PPGAS dá-se através de uma docente que integra o conjunto de seminários que lastreiam o projeto de criação da rede.

Alemanha

Participação de docente do Centro de Estudos Europeus e Alemães – CDEA, com sede na PUC-RS.

Convênio com a Freie Universität, Berlin (FUB) por meio do ILEA/UFRGS & Instituto Latino-americano da FUB: promove o intercâmbio de professores e estudantes e desenvolve pesquisas em áreas de interesse comum. No ano de 2018, foi concluído o projeto intitulado: “Em seus próprios termos – economias e tecnologias de governo nos processos de institucionalização da eutanásia voluntária e suicídio assistido na Alemanha, Austrália e Suíça”. O projeto foi aprovado pela Freie Universität Berlin e PROPESQ/UFRGS.

Argentina

Em maio de 2018, um docente do PPGAS/UFRGS realizou missão junto à Universidade de San Martín e ao Centro Nacional de Diagnóstico e Investigação em Doenças Infecciosas, em Buenos Aires, com temas relacionados a um projeto sobre Leishmaniose. Na mesma ocasião, participou de Painel sobre espiritismo na América Latina, que ocorreu na FLACSO.

Programa Centros Associados da Pós-Graduação Brasil-Argentina - Edital nº 008/2013 CAPES/CAPG-BA. Instituições participantes: IDAES/UNSAM (Argentina), Museu Nacional, UFRJ e UFRGS (Brasil). Inclui de missões de estudo de estudantes brasileiros na Argentina e vice-versa, missões de trabalho de professores nos dois sentidos, ensino, projetos de pesquisa, publicações, organização de eventos. Em junho de 2018, foi realizada uma missão de trabalho por parte de um de docente do PPGAS/UFRGS na UNSAM, composta de reunião de trabalho, uma jornada de discussões (El mercado de arte/artesanía cubano: cuentapropismo y políticas públicas) e uma conferência (Gubernamentabilidad y lógicas de mercado - la elitización del fútbol brasileño tras la Copa 2014). No âmbito do mesmo projeto, o PPGAS recebeu como pós-doutoranda Silvina Merenson, professora da UNSAM, que durante o segundo semestre de 2018 participou das reuniões do NACI, apresentou dois seminários abertos e uma conferência sobre suas pesquisas no Uruguai, Argentina e Estados Unidos, além de ministrar um tópico no PPGAS com a temática “Cidadania”.

Um docente do PPGAS/UFRGS coordena a pesquisa “La antropología y las emergencias sanitarias urbanas: estudio etnográfico de la implementación de políticas y prácticas sanitaristas de prevención, control y vigilancia de enfermedades transmitidas por el mosquito Aedes aegypti en Buenos Aires/Argentina”, financiada pelo Conicet/Argentina. Este trabalho é parte de uma colaboração mais ampla com a professora Andrea Mastrangelo (Conicet), desenvolvida no âmbito do “Programa 211 - Salud, ambiente y trabajo”, apoiado pelo Conicet e executado por meio do Centro Nacional de Diagnostico e Investigación en Endemo-epidemias (CeNDIE) do Ministerio de Salud, Argentina. Em 2018, o docente realizou duas viagens a Buenos Aires, para trabalho de campo (26/01 a 21/02) e conferências e atividades de pesquisa na UNSAN (01/05 a 06/05).

Uma docente do PPGAS participou das Quintas Jornadas de Estudios sobre la Infancia, promovidas por quatro universidades argentinas (UNSAM, UBA, UNGS e UCPBA) e ocorridas em Buenos Aires, entre 15 a 18 de agosto.

Uma docente do PPGAS realizou missão docente na Universidade de Buenos Aires, de 30 de maio a 1° de junho 2018, proferindo conferência de abertura de seminário do Programa de Antropologia e Saúde.

Brenda Canelo, professora da Universidade de Buenos Aires, foi recebida no PPGAS para um estágio de pós-doutorado com bolsa do CONICET durante o segundo semestre de 2018, período no qual co-ministrou um Tópico sobre imigração

Defesa de tese de doutorado de estudante do PPGAS em dezembro de 2018, resultado da cotutela entre UNSAN e UFRGS, com o professor Luis Ferreira como coorientador e defesa realizada em Buenos Aires.

Um docente é membro do Comitê Assessor Externo do Mestrado em Antropologia Social do Instituto de Desarollo Económico y Social (IDES) e Instituto de Altos Estudios Sociales (IDAES) da Universidad Nacional de General San Martín.

Cuba

Um docente do PPGAS coordena o projeto de pesquisa “Transformações Políticas e Novos Mercados: uma etnografia a partir da relação entre o turismo estrangeiro e a produção de artes plásticas/artesanato em Cuba”. No âmbito deste projeto o docente realizou trabalho de campo em Havana durante 15 dias ao longo dos meses de janeiro e fevereiro de 2018

O mesmo docente teve aprovado o projeto “Transformações Políticas em Cuba e Novos Mercados - Turismo, artes plásticas e cuentapropismo em perspectiva antropológica” em Chamada MCTIC/CNPqNº 28/2018 – Edital Universal. Além de subsidiar a continuação do seu próprio trabalho de campo em Cuba, os recursos servirão para financiar uma estada de um orientando de doutorado.

Espanha

Um docente do PPGAS realizou pesquisa de campo em cidades espanholas, em outubro de 2018, no âmbito do projeto de bolsa produtividade “Transnacionalização evangélica brasileira para a Europa”.

O PPGAS/UFRGS, através do Núcleo de Antropologia e Cidadania (NACI), tem   representação no Grupo de REcerca AFIN de la Universitat Autonoma de Barcelona.

Estados Unidos

O Programa mantém convênio, desde 2011, com a Universidade de Brown que inclui intercâmbios de professores nos dois sentidos e missões de estudo de alunos de pós-graduação e de graduação para realizarem estágios de doutorado e de graduação em ambas as universidades. O intercâmbio inclui pesquisas conjuntas entre pesquisadores das duas universidades na área da antropologia da saúde e da antropologia econômica e urbana. Em 2018, salienta-se a aprovação de um docente do PPGAS/UFRGS como Visiting Professor no Center for Latin American and Caribbean Studies da Brown University. Ministrou um curso para alunos de graduação - “Mosquito - performing epidemics in Latin America and Caribbean”; participou de atividades de pesquisa no Watson Institue for International and Public Affairs; integrou-se à rede e participou dos encontros mensais do CLAAW - Contemporary Latin American Anthropology Workshop, na Harvard University, em Cambridge; foi conferencista no Program in Latin American Studies na Princeton University, em Princeton; integrou-se à National Network for Democracy in Brazil, na Columbia University, em Nova York (na qual foi fundador do comitê de assuntos “Global Health").

Em 2018, de setembro a dezembro, duas docentes do PPGAS realizaram sua estadia na University of Georgia, no HECLab – Humans and Environnemental Changes Lab (com o qual há contatos desde 2015), ambas em estágio de pós-doutorado, durante o qual proferiram a conferência “The threes and the time in Athens and Porto Alegre”.

Um docente do PPGAS ocupou a posição de Fulbright Distinguished Visiting Professor, Departamento de Antropologia, na Emory University, Atlanta, no segundo semestre de 2018. Durante esse período, ministrou a disciplina “Brazil in a Transnational Perspective”; proferiu palestras (“A Brazilian Anthropologist looking at Money in America” e “O Imaginário da Música Popular Brasileira”, Emory University; “Brazil circles the Globe: five centuries exchanging commodities, ideas and cultural practices” e “National and Regional Identities in Brazil: the peculiarities of Rio Grande do Sul", Columbia University; “Brazil circles the Globe: five centuries exchanging commodities, ideas and cultural practices”, Brown University) e participou de várias atividades, como a Roundtable about the Brazilian Presidential Elections 2018, organizado pelo Department of Spanish and Portuguese Studies da Emory University.

Como resultado dessa interação com a Brown University foi aprovado o projeto com vigência a partir de 2019, intitulado: “Performing epidemics: an anthropology of mosquito epidemics in Latin American”, na Brown University financiado pelo fundo Craig M. Cogut. O projeto coloca o docente do PPGAS responsável pelo projeto na posição de Associate Researcher do Center for Latin American and Caribbean Studies, na Brown University, até 2021. Ainda em 2018, este mesmo docente teve aprovado o Projeto Universal CNPq/Chamada MCTI/CNPq28/2018, intitulado “Performando Epidemias: uma etnografia de políticas públicas para vigilância e controle das enfermidades relacionadas ao mosquito Aedes aegypti na América Latina e no Caribe”. O projeto prevê a manutenção de colaborações já estabelecidas internacionalmente, por meio de parcerias de pesquisa com a Universidad de San Martin (Argentina) e a Brown University (Estados Unidos). O mesmo acontece com o projeto “Performando Epidemias: uma etnografia de políticas públicas para vigilância e controle das enfermidades relacionadas ao mosquito Aedes aegypti no Brasil e na Argentina”, aprovado em 2018 na modalidade Bolsa de Produtividade (PQ2 - CNPq).

Uma docente do PPGAS desenvolve a partir de 2018 em projeto em parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp) e a Universidade de San Diego, intitulado Viabilidade e Aceitabilidade do Autoteste do HIV em Espaços Comunitários (ver detalhes em Intercâmbios Nacionais).

Desde 2014 o Programa conta com o projeto com a Faculty of Arts and Sciences/Music, da Harvard University, Cambridge, MA. O título do projeto é Sounds of Colonialism in the Modern Atlantic: critical studies in Ethnomusicology

Entre 2017 e 2018, duas alunas de doutorado realizaram estágio de doutorado no exterior nos Estados Unidos, uma delas junto à University of Michigan, através de bolsa de doutorado sanduíche da CAPES, e a outra na City University of New York, através de bolsa Fulbright

França

O Núcleo de Antropologia Visual (NAVISUAL) e o Banco de Imagens e Efeitos Visuais (BIEV) participam do PHANIE Centre de l’ethnologie et de l’image, coordenado por Christine Louveau da Université d'Évry-Val d'Essonne.

Uma docente do PPGAS/UFRGS participou de três seminários: “Cadavres dans nos poubelles”, 8 e 9 de fevereiro, debatedora, IRIS-CNRS, Marseille; “Famille et Parenté:  Transformations, permanences, traitements”,  5 a 8 de junho, CNRS–LISST–Ethopol, Sète (no qual também houve apresentação de uma bolsista PNPD); “Displacing the gene: DNA as one among other technologies in family identification” (Genetic identities and identification: Social issues surrounding non-medical DNA testing), 11 e 12 de outubro, EHESS, Paris.

Um docente participou como membro de banca de doutorado na EPHE, Paris, tendo também feito um dos relatórios preliminares.

Uma doutoranda realiza estágio de doutorado no Centre de Recherche, Médecine, Sciences, Santé Mentale et Société, Paris, com bolsa CAPES.

Aprovação de projeto no âmbito de edital CAPES/COFECUB (“Transformações da laicidade: novas relações entre Estado, sociedade e religião”), coordenado por docente do PPGAS, previsto para ocorrer entre 2019 e 2022. O projeto envolve, na França, o Groupe Sociétés, Religions, Laicités, vinculado à Ecole Pratique des Hautes Études e, no Brasil, outras três universidades (UFJF, UNICAMP e UFRRJ) – além de quatro docentes do PPGAS/UFRGS. Estão previstas missões de estudo (estágios de doutorado e pós-doutorado) e missões de trabalho, além de publicações e eventos nos dois países.

Holanda

Em 2017, mesmo ano em que uma discente em co-tutela defendeu sua tese de doutorado na Universidade Livre de Amsterdã e dois alunos de doutorado realizaram estágio de doutorado no exterior na Universidade de Utrecht, financiados pela CAPES, elaborou-se um projeto para concorrer ao edital CAPES-NUFFIC, articulando o PPGAS/UFRGS e o PPGAS/UFPR com duas universidades holandesas. Esse projeto foi um dos resultados do pós-doutorado realizado por um docente do PPGAS entre agosto de 2016 até julho de 2017 na Universidade Livre de Amsterdã. Apesar do projeto não ter sido aprovado, os vínculos estabelecidos permitiram a organização de uma coletânea de textos de autoria de Birgit Meyer, professora da Universidade de Utrecht. A coletânea, cuja organização é de responsabilidade de um docente do PPGAS e dois professores de outras universidades e se desenrola em 2017 e 2018, está prevista para ser publicada em 2019 pela Editora da UFRGS. Essa iniciativa dá continuidade às articulações que começaram a ser promovidas pelo projeto “Transnacionalização Religiosa” (CAPES NUFFIC 2011-2014) e no âmbito do Programa Paulo Freire (que envolveu outras universidades brasileiras).

Outra docente do PPGAS participa desde 2018 do projeto “Economia circular: antropologias do lixo/resíduos sólidos e experiências inovadoras entre Holanda e Brasil”, aprovado pelo Edital CAPES-NUFFIC, tendo como instituições principais a Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade Livre de Amsterdam.

Itália

Convênio NER PPGAS com Roma TRE. Projeto de pesquisa “Religião no Espaço Público e na Mídia, no Brasil e na Itália”. Coordenadores: Ari Pedro Oro e Emerson Giumbelli. Pela Itália: Roberto Cipriani.

México

Dando sequência ao intercâmbio com CIESAS/Occidente, em 2018 foi publicada a coletânea “Entre trópicos”, que resultou de pesquisas comparadas no Brasil e no México, que teve como editores um docente do PPGAS/UFRGS, uma docente do CIESAS e um egresso do PPGAS/UFRGS.

Em 2016, teve início a vigência do projeto “Diálogos Interculturais: patrimônios epistemológicos ameríndios e afrodescendentes”. Este programa possibilita a concessão de bolsas sanduíches de graduação e de doutorado no exterior, no CIESAS. Foram selecionados três estudantes da UFRGS para realizarem suas missões em 2017. O projeto é vinculado ao Programa de Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento (SECADI/MEC/CAPES). Este projeto visa articular e colocar em diálogo estudos e pesquisas relacionadas à promoção da igualdade racial, à valorização das especificidades socioculturais e cosmo-ontológicas dos povos indígenas, e à divulgação do conhecimento da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena. O tema da interculturalidade e da diversidade cultural de patrimônios epistemológicos permite a reflexão sobre políticas públicas em relação a minorias. O projeto objetiva intercâmbio de discentes e docentes em atividades de ensino e pesquisa; missões de estudo para alunos de graduação e de doutoramento e missões de trabalho dos professores pesquisadores. Em 2018, houve intercâmbio discente de dois alunos de graduação e um de doutorado, além de uma missão de trabalho do coordenador na Ciudad de Mexico e uma participação em Colóquio, na sede de Xalapa, México.

Portugal

O Programa possui um intercâmbio de pesquisa e ensino com a Universidade Nova de Lisboa na área de etnomusicologia, o qual inclui missões de estudo e de trabalho em ambos os sentidos. Em 2013 uma professora do Programa realizou estágio sênior na Universidade Nova de Lisboa com professora visitante. Em 2014 esta professora do Programa foi designada como membro do External Advisory Committee do Doctoral Program “Music as Culture and Cognition” da FCSH /Universidade Nova de Lisboa (2014 - 2016). Em 2017, houve a missão docente de um professor visitante no PPGAS/UFRGS, proveniente da Universidade Nova de Lisboa (Ricardo Campos), junto ao Navisual. O PPGAS foi sede da reunião dos pesquisadores da R.A.I.U - Rede de pesquisa Luso-Brasileira em Artes e Intervenções Urbanas. Também sediou reunião das coordenadoras da Rede Todas as Artes, Todos os Nomes. Em 2018, um doutorando partiu com bolsa CAPES para o estágio de doutorado na Universidade Nova de Lisboa, sob a supervisão de Ricardo Campos.

Reino Unido

Início do projeto de cooperação científica intitulado “Living with Disabilities. An anthropological contribution to public policies”, entre a UFRGS e a University College London, cuja coordenadora na UCL é Sahra Gihbon. O projeto teve aprovado pela British Academy o financiamento de 70.000 libras e prevê o intercâmbio discente e docente, realização de cursos e seminários de pesquisa sobre deficiência e políticas públicas. Tem por objetivo final a criação e consolidação de uma rede de pesquisa sobre deficiência e políticas públicas no Brasil. Quatro docentes do PPGAS/UFRGS estão envolvidas, além de uma bolsista PNPD e quatro pós-graduandos. Vigência: 2018 a 2010.

Foi iniciado, em 2016, um intercâmbio do PPGAS/UFRGS com o “Anthropology of Christianity Working Group”, da University of Edinburgh, UK. Em 2016, foi realizada uma missão docente de dez dias de pesquisador do PPGAS/UFRGS na University of Edinburgh, para prospecção de ações futuras e apresentação de comunicação de pesquisa. Em 2017 foi realizada nova ida do docente, para apresentação de comunicação no “III Latin America Symposium: Power, Politics and Religion in Brazil - Ruptures, Continuities and Crisis”, vinculado ao Centre for Contemporary Latin American Studies da University of Edinburgh. Em 2018, os contatos foram mantidos com a perspectiva de outra viagem docente e proposição de projeto em 2019.

Uruguai

O Navisual e o Biev mantêm intercambio com a UDELAR. Em 2017, vários pesquisadores da UDELAR estiveram no PPGAS/UFRGS, para realização de palestras e bancas de finalização de curso (vide seminários e comunicações). Em 2018, uma docente esteve em Montevidéu para realizar conferência (aula inaugural) e participar em júri de avaliação de projetos de doutorado.

Uma docente do PPGAS participou do Primer Congreso Latinoamericano de Estudios de Género y Cuidados: Miradas latino-americanas al cuidado, 5 a 7 de novembro, em Montevidéu.

Vale ainda mencionar que, em 2018, dois professores convidados de instituições internacionais participaram de bancas de defesa no PPGAS/UFRGS: Ricardo Campos (CICS – Lisboa/Portugal) e Hernán Palermo (CEIL-CONICET, Argentina).

Voltar