Apresentação

Apresentação

O ensino de Antropologia na UFRGS surgiu como uma cátedra de Antropologia e Etnologia no curso de graduação em História e Geografia com a criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras em 1942. Em 1970, com a Reforma Universitária, a faculdade foi transformada no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, com quatro departamentos: Filosofia, Psicologia, História e Ciências Sociais. O Departamento de Antropologia foi criado em 1993, desmembrado do Departamento de Ciências Sociais.

As atividades de pós-graduação em Antropologia se iniciaram em 1974, com a criação do Curso de Especialização em Antropologia Social. Em 1979 foi criado o Mestrado e, em 1991, o Doutorado. Desde então, o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS/UFRGS) tem atraído alunos de todas as regiões do Brasil, de vários países da América Latina e de outros continentes.

O PPGAS/UFRGS tem como objetivo principal a formação de antropólogas/os qualificadas/os para atuarem tanto como professores e pesquisadores no âmbito acadêmico, quanto como profissionais na sociedade em geral. Seus egressos ocupam postos de trabalho em importantes instituições de ensino e pesquisa e em órgãos governamentais e não governamentais no Brasil e no exterior. Sua excelência acadêmica é reconhecida pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Ministério da Educação), que em 2013 concedeu-lhe nota 7, a maior nota atribuída aos programas de pós-graduação no país. A diversidade de suas linhas de pesquisa articula-se em torno de um projeto coletivo que lhe dá identidade e projeção.

O PPGAS/UFRGS destaca-se primeiramente pela sua inserção social e cooperação com outras instituições acadêmicas para o avanço da Antropologia em regiões, países e continentes em que esta área do conhecimento se encontra em processo de consolidação. Segundo, pelo intercâmbio com outras instituições de pós-graduação em contextos hegemônicos de produção do conhecimento. Sua internacionalização se expressa na produção científica de seus pesquisadores; em sua força de atração de estudantes estrangeiros; na abrangência de seu campo de pesquisa empírica, que abarca, hoje, os cinco continentes; e na presença contínua, em seu quadro de seus docentes temporários, de professores visitantes e pós-doutorandos de diversos países.

O Programa conta com o Laboratório de Antropologia Social e com diversos núcleos de investigação que desenvolvem projetos de pesquisa, extensão e consultorias em áreas clássicas e inovadoras da Antropologia, como: cultura, saúde, direitos humanos, cidadania, religião, etnologia, economia, alimentação, turismo, meio ambiente e ciência. Publica, desde 1995, a revista Horizontes Antropológicos, classificada pelo sistema Qualis Capes como A1, e as revistas dos núcleos: Debates do NER, Espaço Ameríndio, Fotocronografias e Iluminuras. Seus pesquisadores e estudantes contam com uma ampla infraestrutura para pesquisa, com o acervo de uma das bibliotecas mais importantes em ciências sociais do país, com bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado e como com auxílios para pesquisa de campo e participação em eventos científicos.

Voltar