50 anos de BC: os anos 60 foram assim…

“As bibliotecas deviam ser declaradas da família dos aeroportos, porque são lugares de partir e de chegar. Os livros são parentes diretos dos aviões, dos tapetes-voadores ou dos pássaros. Os livros são da família das nuvens e, como elas, sabem tornar-se invisíveis enquanto pairam, como se entrassem dentro do próprio ar, a ver que existe para depois do que não se vê.”

Valter Hugo Mãe

Dos inícios (sim, foram alguns)

Uma história que começou considerando que a Biblioteca Central inicialmente teria como característica apenas material de referência (lembram?).

Ainda em 1962

O Serviço de Bibliografia e Documentação (SBD), era responsável pela aquisição de material bibliográfico para os acervos da UFRGS, pela assistência técnica às bibliotecas especializadas ou em organização e outras tantas demandas.

O ano é 1967

15 de março: a República dos Estados Unidos do Brasil passa a ser denominada República Federativa do Brasil

19 de maio de 1967:  lançamento de Terra em Transe, de Glauber Rocha

24 de maio: a SARS-2-H-N vira uma pandemia mundial, paralisando eventos esportivos por todo o planeta

30 de maio: lançado em Buenos Aires o romance Cem Anos de Solidão do escritor colombiano Gabriel García Márquez, esgotando 8000 exemplares em duas semanas

01 de junho: The Beatles lançam o álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, considerado um marco na história da música pop/rock

16 a 18 de junho: é realizado o Monterey International Pop Festival, o primeiro festival de rock em larga escala

19 de novembro: falecimento de João Guimarães Rosa, escritor, diplomata e médico brasileiro, considerado por muitos o maior escritor brasileiro do século XX

05 de dezembro: criação da FUNAI

E em 1967 na UFRGS

O decreto n° 60.800 de 02 de junho de 67, declarava de utilidade pública em favor da Universidade, a biblioteca particular do eminente Prof.° Gert Eduardo Secco Eichenberg.

Que quer dizer que…

A UFRGS en-can-ta-da com a imensa coleção constituída ao longo da vida por Gert Eichenberg, viu potencial e…

Em 1969

A Coleção Eichenberg foi oficialmente adquirida pela Universidade!

Coleção Eichenberg: constituída por cerca de 50.000 volumes, obras dos séculos XVI ao XX

10.000 livros considerados obras raras.

Das obras raras

 Os critérios de raridade empregados para classificar as obras raras ou preciosas são os seguintes:

  • impressos na Europa até o século XVIII;
  • impressos no Brasil até 1841;
  • edições de tiragem reduzida;
  • exemplares de coleções especiais;
  • edições clandestinas;
  • obras esgotadas;
  • exemplares com anotações manuscritas importantes;
  • exemplares de bibliófilo;
  • edições de luxo;
  • exemplares autografados por pessoas de reconhecida projeção.

Dos assuntos

De tudo e mais um pouco!

O acervo bibliográfico abrangia os mais variados assuntos, com predominância em História, Literatura, Filosofia e Arte.

Maravilhoso, não é?

Maaaaaas

Anos 60, não deu pra ti

Após a compra, o material ficou por um tempo depositado no porão da residência do vendedor, pois a UFRGS não dispunha de um local adequado para a guarda e conservação das obras.

E a BC? A BC não existia… lembram?

E quando é que ele vem para a BC?

Aguardem, que ele vem!

 Em 1970 começamos a escutar os seus sinais…

Biblioteca Central da UFRGS – 50 anos de atuação em prol da democratização do conhecimento e do desenvolvimento de competências informacionais!