No Dia Mundial do Meio Ambiente, podcast alerta para cobertura insuficiente da mídia

Convidada do quinto episódio do #ConversaHumanista, a especialista em jornalismo ambiental Débora Gallas defende uma cobertura cotidiana para a conscientização sobre a preservação.

#ConversaHumanista

O Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, começa com uma triste notícia para quem vive no Rio Grande do Sul. Quase 44% do pampa gaúcho, região formada por coxilhas e planícies verdes, majoritariamente localizada ao sul do Estado, já foi desmatada. A informação foi revelada nesta quarta-feira pela jornalista Paula Sperb, repórter do jornal Folha de S. Paulo em Porto Alegre, a partir de dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O momento é propício para o debate sobre a preservação do meio ambiente; não são poucas as reportagens na mídia nacional chamando a atenção para os efeitos da ação humana sobre a natureza. Mas e no dia a dia? Falta, antes de mais nada, atenção para questões locais, que afetam o cotidiano das pessoas. A opinião é da jornalista Débora Gallas, pesquisadora de doutorado e especialista em jornalismo ambiental, convidada do quinto episódio do #ConversaHumanista.

O podcast reflete sobre a polêmica agenda do Governo Bolsonaro para o meio ambiente, a partir do trabalho do Grupo de Pesquisa em Jornalismo Ambiental da Fabico/UFRGS, coordenado pela professora Ilza Girardi, do qual Débora participa. Alternativas para uma cobertura que contribua mais para a preservação ambiental também compõem a pauta. Quer saber quais são? Uma dica é justamente evitar o agendamento do tema somente no entorno de datas especiais, como é o caso do Dia Mundial do Meio Ambiente, ou ainda apenas a partir de dados produzidos por órgãos oficiais.

Repórteres do Humanista, participam também Bárbara Lima e Camila Souza, que recentemente publicou reportagem sobre os impactos do Projeto Mina Guaíba, que visa a minerar carvão em Eldorado do Sul (RS) e pode obrigar a remoção de 72 famílias do assentamento agroecológico Apolônio de Carvalho. Ouça a conversa!

Débora Gallas participa do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul e analisa a produção midiática sobre meio ambiente no Observatório de Jornalismo Ambiental, mantido pelo grupo de pesquisa do qual participa na Fabico com o propósito de avaliar a cobertura sobre o tema – que é, ao lado da educação para a leitura do jornalismo, uma das intenções do #ConversaHumanista. A pesquisadora compartilha parte das suas reflexões na dissertação de mestrado “O jornalismo e a cidade em construção: o discurso ambiental do jornal Zero Hora sobre as obras da Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre”, defendida em março de 2015 no PPGCOM (Programa de Pós-graduação em Comunicação) da UFRGS.  

O podcast é produzido quinzenalmente por estudantes da disciplina de Laboratório de Jornalismo Convergente da Fabico/UFRGS, com técnica de Neudimar da Rocha. Nos primeiros episódios os temas foram os 55 anos do Golpe Civil-Militar de 1964, o tabu sobre o noticiamento do suicídio, a crise na Venezuela e o decreto do porte de armas; todos ficam disponíveis também no SoundCloud e no Spotify. O quinto episódio foi gravado na terça-feira, dia 4, véspera da data dedicada ao meio ambiente em todo o mundo.


FOTO: Janaína Kalsing/Humanista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *