Peça Não Especificadx é apresentada em outubro

Teatro | A montagem integra a Mostra de Teatro Universitário do Projeto Teatro, Pesquisa e Extensão, com sessões às quartas na sala Qorpo Santo

Nas quartas-feiras de outubro, a Sala Qorpo Santo recebe as apresentações da temporada de Não Especificadx. A peça retrata cenas da vida cotidiana, com uma diferença: a inversão nos papéis binários de gênero. Ao representar situações de “opressão naturalizada” ao gênero binário feminino, a peça parte do questionamento: “Por que eu não posso?”.

Durante os 50 minutos da montagem, um ator (Ivan Nunes) e uma atriz (Alessandra Bier) “trocam de papéis”, colocando em evidência as diferenças impostas aos gêneros e algumas situações naturalizadas de opressão. A maior parte da equipe é composta por mulheres, incluindo a diretora, Manu Goulart.

Segundo Alessandra Bier, coordenadora e idealizadora do espetáculo, a motivação para criar uma peça com essa temática tem uma importância social. “Temas como este precisam ser debatidos, precisam estar no pensamento e na fala de cada pessoa, para que, aos poucos, a sociedade que em muitos aspectos parece acostumada e amortecida, comece a se conscientizar. E, assim, ser provocada a mudança. Nós existimos, nós andamos pelas ruas, nós sofremos abusos e injustiças, e isso não deve nem pode continuar assim”, ressalta. 

Para ela, também é importante que o ambiente universitário seja aberto às pautas dos alunos. “Ter esse espaço é muito significativo, pois temos a oportunidade de fazer nosso trabalho, trazer nossas pautas e ainda demonstrar certa abertura da universidade em relação ao tema e às necessidades dxs alunxs, tornando-a um lugar de maior flexibilidade e representatividade.”

Cena de Não Especificadx (Márcia Adams/Divulgação)

Por meio de variações na linguagem, na estética e no conteúdo das situações, o espetáculo concentra algumas das angústias e vontades humanas e sugere possibilidades para além da realidade criticada pela peça. “E também é como se o espetáculo tivesse um pouco da nossa identidade espalhada pelos episódios”, complementa Bier.

A montagem foi feita para o processo de Estágio de Atuação, com orientação da professora Celina Alcântara –, prática final do curso de graduação em Artes Dramáticas da UFRGS.

É possível assistir ao espetáculo em dois horários: às 12h30 e às 19h30. A entrada é franca, e a classificação indicativa é de 16 anos. Para entrar, é necessário retirar senhas, disponíveis uma hora antes de cada apresentação.

A Mostra de Teatro Universitário TPE apresenta sete espetáculos ao longo do ano de 2019. O TPE, projeto ligado ao Departamento de Arte Dramática do IA/UFRGS, apresenta um espetáculo a cada mês, sempre às quartas-feiras.

Júlia Provenzi

Estudante de Jornalismo da UFRGS