III Congresso Ibero-Americano de Humanidades, Ciências e Educação: Produção e democratização do conhecimento na Ibero-América


Nos dias 22 a 25 de maio aconteceu na Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) o III Congresso Ibero-Americano de Humanidades, Ciências e Educação com a pauta temática Produção e democratização do conhecimento na Ibero-América. E o ArteVersa esteve presente no evento nos dias 24 e 25 compondo a mesa de coordenadores do GT 11 Docência em arte, docência com arte: experiência e espaços do possível juntamente com apresentações de trabalho.

O GT 11 contou com duas sessões e onze trabalhos aprovados para apresentação. Em ambos os dias integraram a mesa de avaliadores e coordenadores a Profª Drª Luciana Gruppelli Loponte e o doutorando Prof Me Marcelo Feldhaus, integrantes do ArteVersa, e também a Profª Drª Aurélia Regina de Souza Honorato da UNESC. Ainda do ArteVersa estiveram presentes a Profª Drª Carmen Lucia Capra apresentando trabalho e a mestranda Juliana Veloso que participou das discussões.

 Como proposição o GT teve “como principal objetivo fomentar, potencializar e socializar as pesquisas em arte” evidenciando “a docência em arte e a docência com arte desenvolvidas a partir dos inúmeros segmentos que a compõem no âmbito ibero-americano”. Nele houveram falas de três estados, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo, cada um abordando suas diferentes experiências com a docência em arte, trazendo para discussão as contemporaneidades do chão de salas de aulas de escolas públicas, Institutos Federais, Universidades, projetos de arte bem como experiências artísticas individuais desenvolvidas dentro de um programa de pós-graduação em poéticas visuais.

 O evento contou com uma programação que incluiu palestras com convidados internacionais, feira de livro, lançamento de livros, oficinas e minicursos, mesas redondas. Destacando-se a palestra de encerramento, com Calos Skliar, que trouxe para sua fala o pensar a educação como um “sair-se de si, como trajetória, travessia, e nela, aprender a viver”, questionando os ouvintes, docentes e discentes, participantes de todas as áreas: “como falar dessa época ao mesmo tempo que habitamos ela?”, “como furar/fugir das próprias estruturas do tempo em que a gente vive?”.

 

Trabalhos apresentados: 

Educação, universidade, escola e arte: outros modos de operar a docência numa perspectiva híbrida. Marcelo Feldhaus

Cenários: filme “Nunca me Sonharam”, ensino médio e juventudes brasileiras. Carmen Lúcia Capra e Marcelo Feldhaus
35738985_1922756561108832_512139674265845760_n

 

35850816_1922756374442184_8903088968313077760_n

 

35703235_1922756431108845_294381615428141056_n