UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA APLICADA

 

RESOLUÇÃO

Nº 01/2021

O Conselho do Programa de Pós-Graduação em Matemática Aplicada (PPGMAp) desta Universidade, em reunião de 12/04/2021, seguindo decisão registrada na ata de sua reunião nº 21,

RESOLVE

estabelecer as seguintes orientações e normas para o credenciamento e recredenciamento de docentes permanentes e colaboradores no Programa de Pós-Graduação em Matemática Aplicada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Art. 1º – O período de avaliação corresponderá aos últimos 4 (quatro) anos anteriores ao ano do credenciamento ou recredenciamento docente, tendo como base de informação o seu registro público no CV Lattes e no sistema de Pesquisa e de Pós-Graduação da Universidade.

Art. 2º – A avaliação compreenderá as seguintes áreas de atuação: as produções bibliográficas do docente (artigos em periódicos com revisor e livros), atuação na formação de recursos humanos e atividades docentes e administrativas no Programa.

Art. 3º – Para a pontuação dos artigos do docente se utilizará a base de dados Scimago, com as seguintes atribuições de pontos para os quartis:

I – Quartil 1 (Q1): 100 PONTOS

II – Quartil 2 (Q2): 100 PONTOS

III – Quartil 3 (Q3): 75 PONTOS

IV – Quartil 4 (Q4): 50 PONTOS

V – Não Indexado (NI): 10 PONTOS  

§ 1º A pontuação atribuída será sempre correspondente ao ano da publicação ou, na falta deste, ao ano mais recente disponibilizado e ao maior quartil no qual o artigo avaliado se enquadrar.

§ 2º  Livros de pesquisa contabilizam 100 pontos e capítulos de livro de pesquisa contabilizam 50 pontos. 

§ 3º Se o(a) docente publicou artigos/livros/capítulos de livro em colaboração com outro membro do programa é retirada uma porcentagem fixa de 20% da respectiva produção.

§ 4º Artigos publicados em jornais de sociedades científicas brasileiras que não estiverem aparecendo em algum quartil do Scimago poderão ter suas notas alteradas de 10 pontos (correspondente ao NI) para 50 pontos, após análise da Comissão de Pós-Graduação.

§ 5º A nota do quadriênio em produções bibliográficas considerará as quantidades NQ1, NQ2, NQ3, NQ4, NNI, NL e NCL, onde se contabiliza a produção de artigos, livros e capítulos de livro em cada um dos quartis levando em conta a redução da pontuação no caso de colaborações. A média de toda a produção bibliográfica de cada docente no quadriênio dar-se-á da seguinte forma:

NOTAQUADRIÊNIO = NQ1+NQ2+NQ3+NQ4+NNI+NL+NCL/4

§ 6º Para que o(a) docente esteja habilitado(a) a qualquer categoria de recredenciamento, a nota total do quadriênio em produções bibliográficas deve ser maior ou igual a 30 (trinta). Esta regra não se aplica ao docente responsável pelo setor de recursos computacionais do Programa.

Art. 4º – Para pontuação da atuação na formação de recursos humanos e atividades docentes e administrativas no Programa serão atribuídas as seguintes pontuações:

I – 5 pontos por disciplina ministrada no Programa no período avaliado.

II – 10 pontos por cada doutorado que tenha sido finalizado sob orientação ou coorientação do(a) docente no período avaliado.

III – 5 pontos por cada mestrado que tenha sido finalizado sob orientação ou coorientação do(a) docente no período avaliado.

IV – 40 pontos por coordenação do Programa no período avaliado.

V – 40 pontos para o(a) docente responsável pelo setor de recursos computacionais do Programa no período avaliado.

Art. 5º – A Nota Final de avaliação de recredenciamento docente dar-se-á pela seguinte fórmula:

NOTAFINAL = NOTAQUADRIÊNIO+10*DOUTS+5*MESTS+5*DISC+40*COORD+40*LICC

Art. 6º – O(A) candidato(a) ao recredenciamento como Membro Permanente – Escopo Orientação de Doutorado precisa ter ministrado ao menos uma disciplina no Programa ou ter finalizado uma orientação de doutorado no período de avaliação.

Art. 7º – O(A) candidato(a) ao recredenciamento como Membro Permanente – Escopo Orientação de Mestrado precisa ter ministrado ao menos uma disciplina no Programa ou ter finalizado uma orientação de mestrado no período de avaliação.

Art. 8º – O(A) candidato(a) ao primeiro credenciamento como Membro Permanente – Escopo Orientação de Doutorado precisa ter finalizado uma orientação de mestrado ou uma coorientação de doutorado durante seu vínculo total com o Programa.

Art. 9º – Baseado nas restrições dos artigos nº 7, nº 8 e nº 9 e na Nota Final, o(a) candidato(a) a credenciamento ou recredenciamento pode se enquadrar em uma das seguintes categorias:

I – 70 ≤ NOTAFINAL:  Membro Permanente – Escopo Orientação de Doutorado.

II – 50 ≤ NOTAFINAL<70: Membro Permanente – Escopo Orientação de Mestrado.

III – 30≤ NOTAFINAL<50: Membro Colaborador – Escopo Orientação de Mestrado.

IV – NOTAFINAL<30: Desligamento

Art. 10º – Reserva-se a classificação Membro Colaborador – Escopo Orientação de Doutorado para aqueles(as) docentes que possuem os pré-requisitos para serem Membro Permanente – Escopo Orientação de Doutorado mas que, por questões pessoais, não podem ou não querem ser membros permanentes do Programa.

Art. 11º – O(A) docente candidato(a) ao primeiro credenciamento no Programa deve totalizar 200 pontos em artigos nos últimos 4 (quatro) anos e será vinculado(a) como Membro Colaborador – Escopo Orientação de Mestrado pelo período de 2 (dois) anos.

Art. 12º – Bolsistas de produtividade do CNPq são automaticamente classificados na categoria Membro Permanente – Escopo de Orientação de Doutorado.

Art. 13º – Docentes do Programa que possuem orientações em andamento prosseguem com seus orientandos atuais, independente da pontuação estabelecida nesta Resolução.

Art. 14º – O número de docentes colaboradores não pode exceder 30% do total do corpo docente no Programa.

Art. 15º – Poderão, mediante justificativa do requerente e concordância da Comissão de Pós-Graduação, ser solicitados credenciamentos ou recredenciamentos de docentes que não preencham os critérios expostos nesta Resolução. A solicitação para a CAMPG será, então, acompanhada de carta da coordenação do Programa contendo justificativa.

 

Porto Alegre, 12 de abril de 2021.

                                                                Lucas da Silva Oliveira

                                                                 Coordenador PPGMAp