CaGII

CaGI

a) um homem e uma mulher acima de 55 anos, a) um jovem e uma jovem de 18 a 36 anos,
b) nascidos na localidade, ou que viveram 3/4 da vida na localidade (obrigatoriamente os últimos 5 anos), b) nascidos na localidade, ou que viveram 3/4 da vida na localidade (obrigatoriamente os últimos 5 anos),
c) com escolaridade superior e ocupação profissional livre/autônoma c) com escolaridade superior e ocupação profissional livre/autônoma

CbGII

CbGI

a) um homem e uma mulher acima de 55 anos, a) um jovem e uma jovem de 18 a 36 anos,
b) nascidos na localidade, ou que viveram 3/4 da vida na localidade (obrigatoriamente os últimos 5 anos), b) nascidos na localidade, ou que viveram 3/4 da vida na localidade (obrigatoriamente os últimos 5 anos),
c) com escolaridade básica (analfabeto até 2° grau incompleto) e ocupação profissional agricultor ou empregado que não exija o uso da escrita c) com escolaridade básica (analfabeto até 2° grau completo) e ocupação profissional agricultor ou empregado que não exija o uso da escrita

O quadro acima apresenta os critérios de escolha dos informantes para os quatro grupos de fala que se pretende contrastar: na dimensão diastrática, as classes sociais Ca e Cb, e, na dimensão diageracional, as gerações GII (velhos) e GI (jovens). Estes são os mesmos grupos definidos para os demais atlas da trilogia na Bacia do Prata, ADDU (Atlas linguístico Diatópico y Diastrático del Uruguay) e o ALGR (Atlas Guaraní-Románico). Tal opção orienta-se pelo desejo de comparabilidade de dados e comportamentos linguísticos presentes em situações de contato linguístico distintas: contato português-espanhol, duas línguas de colonização (abordado pelo ADDU-Norte); contato guarani-espanhol (em certa medida também português), portanto entre uma língua autóctone indígena e língua(s) colonizadora(s), no caso do ALGR; finalmente, contato hunsriqueano-português/espanhol, entre uma língua européia de imigração (alóctone) e línguas européias de colonização majoritárias.

Para as entrevistas semidirigidas, é aplicado um questionário-base que se divide em partes distintas, englobando atitudes linguísticas e caracterização do contexto e dos informantes; léxico; fonologia; morfossintaxe; leituras – ver acima).

Vale ressaltar que, na constituição de cada grupo de entrevista, segue-se o critério da pluralidade de informantes, preferencialmente a pluralidade simultânea de no mínimo dois informantes (ver Radtke & Thun 1996), um homem e uma mulher, a fim de permitir análises ao menos parciais de variações diassexualmente condicionadas. Em casos de dificuldades de obtenção ou reunião dos informantes, admite-se também a pluralidade sucessiva de informantes com mesmo perfil, a fim de não comprometer o levantamento como um todo. Nesses casos, é aplicado um núcleo básico comum, para controle da compatibilidade entre os informantes. Em média, uma entrevista completa tem duração de cerca de 5 horas, daí a preferência por se definir com os informantes um turno de trabalho, na maioria das vezes uma tarde ou uma noite.

Na realização das entrevistas, é preciso destacar a colaboração dos informantes em particular que, com interesse e atenção dedicaram um período de seu dia para ajudar na gravação de entrevistas. A eles, agradecemos de modo muito especial.