Relações Internacionais

Apresentação geral do curso

Tira-dúvidas sobre a profissão


currículo e formação

Titulação: Bacharel em Relações Internacionais
Duração: 8 semestres
Turno: Integral
Vagas anuais: 60

O curso de Relações Internacionais (RI) iniciou seu funcionamento em 2004 e, quatro anos depois, formou sua primeira turma, tendo grande procura. Os professores são doutores e pesquisadores de renome internacional, com vasta publicação e intensa atividade de pesquisa. As relações internacionais são um campo de conhecimento multidisciplinar dentro das ciências sociais puras e aplicadas. Podem-se considerar dois pilares básicos: a política e a economia.

A Ciência Política e as Ciências Econômicas apoiam-se na História, Direito, Geografia e, complementarmente, na Filosofia, Sociologia e Administração. O curso inicia com uma introdução geral que dá aos estudantes uma visão articulada de todas essas dimensões, de forma coerente. Há bibliotecas especializadas na FCE e em outros institutos, um corpo docente qualificado e ampla oferta de atividades de pesquisa em centros especializados da UFRGS, como o Núcleo de Estratégia e Relações Internacionais do Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados (Nerint/ILEA) e Centro de Estudos Brasil-África do Sul (Cesul), além de estágios em empresas e órgãos públicos. Há também elevada oferta de intercâmbios internacionais, com recepção e envio de alunos de e para todos os continentes.

As disciplinas de Teoria das Relações Internacionais apresentam as diferentes escolas de pensamento internacionalista e os diversos elementos do meio ou cenário internacional. A História das RI, mais que narrativa indispensável, aborda a dinâmica do sistema mundial, especialmente da época contemporânea. Grande importância têm as disciplinas sobre política externa, inserção internacional do Brasil e da América Latina e dos processos de integração anteriores ou em curso. Posteriormente, disciplinas de Direito Internacional Público e Privado são ministradas com um enfoque adaptado ao curso.

Disciplinas sobre o comércio e a economia internacional (que são objetos distintos) analisam elementos conflitivos e cooperativos que propiciam a interdependência entre as partes constitutivas do sistema mundial. O mesmo ocorre em relação às organizações internacionais intergovernamentais e não governamentais, cujo papel é crescente, sem desconsiderar o fato de que o Estado-Nação permanece como o ator principal do meio internacional. As questões geopolíticas e estratégicas, bem como as ligadas à guerra e à paz e à prática diplomática (negociações), são enfatizadas em cursos específicos, uma vez que disputas de poder mantêm-se atuais, mesmo dentro do processo de globalização.

Os temas ligados aos aspectos civilizacionais e culturais recebem, igualmente, atenção especial em várias disciplinas, o que também ocorre em relação à África e à Ásia, que possuem disciplinas específicas. Da mesma forma, são necessários cursos monográficos sobre as grandes potências e organizações internacionais, em lugar dos exclusivamente baseados no ensino de modelos formais e pouco ligados à realidade prática. Os modelos envelhecem, o conhecimento empírico, jamais. E este permite teorizações mais adequadas para a formação de especialistas qualificados. Talvez estejamos ainda longe de cursos dessa envergadura, mas os atuais vão melhorar nessa direção. As associações de professores, graduados e estudantes de RI lutam para a formação de cursos com essa estrutura, numa perspectiva pluralista, independente e científica, que não se subordine a orientações governamentais passageiras.

Por fim, o estudante, após concluir os créditos obrigatórios, pode concentrar as disciplinas opcionais em duas linhas de especialização: economia internacional (voltada a empresas) ou política internacional (voltada à diplomacia, pesquisa acadêmica ou atuação em organizações não-governamentais). Os graduandos do curso de Relações Internacionais contam com um grêmio estudantil específico, o Centro de Estudantes de Relações Internacionais (Ceri), que edita a revista semestral Perspectiva, que é referência em publicações da área. Além disso, auxiliam na organizam anual do evento o Ufrgsmun.

Currículo e grade curricular
Projeto Pedagógico do curso (aguardando aprovação)
Portaria de reconhecimento do curso

 


Comissão de Graduação de Relações Internacionais

A Comgrad/RI, no período de julho de 2020 a julho de 2022, é composta da seguinte maneira:

Coordenação

Coordenador: Érico Esteves Duarte
Coordenadora substituta: Verônica Korber Gonçalves

Representantes Titulares

André Luiz Reis da Silva (DERI)
Érico Esteves Duarte (DERI)
Hermógenes Saviani Filho (DERI)
Fábio Costa Morosini (DDPFD)
Luis Gustavo Grohmann (DECIPOL)
Verônica Korber Gonçalves(DERI)
Isabella Carpentieri (CERI)

Representantes Suplentes

Eduardo Ernesto Filippi (DERI)
Leonel Toschio Clemente (DERI)
Luana De Meneses Borba (CERI)

 


suporte administrativo

Fabiana Silva Westphalen
51 3308.3325
comgrad_rel@ufrgs.br

    Se você encontrou algum erro nesta página, por favor, preencha o formulário abaixo e clique em enviar.