UFRGS cresce em ranking de países emergentes

A publicação britânica Times Higher Education (THE) divulga a nova edição do ranking de universidades de países emergentes: THE Emerging Economies University Rankings 2019, nesta terça-feira, dia 15 de janeiro. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul figura na 119ª posição entre mais de 400 instituições de 43 diferentes países. A posição deste ano é bem superior à do ano passado, quando a UFRGS ocupava a faixa 201ª a 250ª posição (a partir da posição 200, a indicação não é exata). A publicação THE é referência na avaliação de instituições acadêmicas.

Os países com maior número de instituições representadas são China, Índia e Brasil. E o país asiático ocupa as três primeiras posições no ranking: 1ª Tsinghua University; 2ª Peking University e 3ª Zhejiang University. Considerando exclusivamente as universidades brasileiras, a UFRGS está atrás apenas da Universidade de São Paulo (USP), 15ª, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) 40ª, PUC-Rio 73ª e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) 97ª.

Na análise específica, a UFRGS cresceu nos índices de pesquisacitaçõesconvênio com indústria e comércio e perspectiva internacional. Segundo o reitor Rui Vicente Oppermann, a UFRGS recebe com muita satisfação essa colocação no ranking, principalmente no momento em que as IFES [Instituições Federais de Ensino Superior] são cobradas por não promoverem inovação e tecnologia. “O que vemos é que a avaliação mostra o contrário e que as universidades, como a UFRGS, são importantes mecanismos de transferência de conhecimento para a sociedade”, afirma Oppermann.

 

O ranking

Times Higher Education Emerging Economies University Rankings inclui apenas instituições de países classificados como emergentes avançados, emergentes secundários ou de fronteira. São usados os mesmos 13 indicadores do ranking global da THE, nas categorias ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais, que são recalibrados para refletir as prioridades de desenvolvimento das universidades em países de economias emergentes.

Confira a metodologia do ranking.

 

Foto: Ramon Moser/UFRGS

Se você encontrou algum erro nesta página, por favor, preencha o formulário abaixo e clique em enviar.