África do Sul assume a presidência da União Africana (UA)

Via: Aljazeera

A União Africana (UA) encerrou sua cúpula anual com os líderes africanos prometendo que o bloco de 55 membros desempenhará um papel maior na resolução de conflitos prolongados e trabalhará para desbloquear o potencial econômico do continente. Combater em questões como igualdade de gênero, mudança climática e impulsionar o comércio através da criação de uma nova área de livre comércio continental também estão no topo da agenda da UA para 2020. Mantendo o tema da cúpula de Silenciar as Armas, o presidente sul-africano Cyril Ramaphosa falou de uma África “próspera e em paz consigo mesma”, quando assumiu a presidência da UA de seu colega egípcio, Abdel Fattah el-Sisi.

Leia mais aqui

RDC passa a monopolizar cerca de 25% de todas as exportações de cobalto

Via: Aljazeera

A República Democrática do Congo (RDC), maior produtor mundial de cobalto, criou um monopólio estatal que comprará toda a produção não extraída por operadores industriais, em uma tentativa de exercer mais controle sobre o preço do ingrediente-chave em baterias recarregáveis. O país da África Central domina a produção do metal, respondendo por mais de 70% do mercado global em 2018. Enquanto a maioria do cobalto congolês vem de minas grandes e mecanizadas operadas por empresas como a Glencore Plc, as mineradoras artesanais podem ser responsáveis por até um quarto da produção da nação.

Leia mais aqui

Crise política e instabilidade no Lesoto

Via: The Conversation Africa

Em 2017, a esposa do primeiro-ministro do Lesoto, Tom Thabane, foi morta a tiros em circunstâncias suspeitas, dois dias antes de sua posse. Agora há uma nova reviravolta na saga: em 11 de janeiro, as autoridades emitiram um mandado de prisão para sua atual esposa, Maesaiah Thabane, em conexão com o assassinato. O escândalo entrou em erupção em meio a uma disputa amarga dentro da Convenção de All Basotho, de Thabane, e culminou em sua renúncia .O mal-estar atual do Lesoto remonta ao assassinato do comandante da Força de Defesa do Lesoto, Brigadeiro Maaparankoe Mahao, em junho de 2015 . Mahao havia sido promovido ao cargo por Thabane no lugar do tenente-general Tlali Kamoli. O assassinato resultou na intervenção da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), que lançou uma iniciativa para trazer paz, estabilidade e boa governação ao Lesoto. O objetivo era tentar manter a paz e trazer estabilidade.

Leia mais aqui