Arquivos mensais: julho 2020

Figura da oposição da Tanzânia, Tundu Lissu, volta do exílio

Via: Aljazeera

O político da oposição da Tanzânia e candidato presidencial, Tundu Lissu, retornou do exílio na Bélgica, onde foi submetido a tratamentos depois de ter sido baleado várias vezes há três anos. Lissu, ex-político do principal partido de oposição de Chadema, foi recebido por centenas de apoiadores, que clamavam em torno de seu carro enquanto ele acenava de um teto solar aberto na segunda-feira (27/07). Um crítico do presidente John Magufuli, Lissu foi baleado 16 vezes em um ataque de pistoleiros desconhecidos na capital administrativa, Dodoma, em setembro de 2017.

Leia mais aqui

Etiópia, Egito e Sudão alcançam ‘grande entendimento comum’ sobre barragem

Via: Aljazeera

O primeiro-ministro da Etiópia disse na terça-feira (21/07) que seu país, Egito e Sudão alcançaram um “grande entendimento comum que abre caminho para um acordo de avanço” sobre um projeto significativo de barragem que levou a fortes tensões regionais e temores de confrontos militares. O Egito e o Sudão vêem a barragem como uma séria ameaça ao abastecimento vital de água, enquanto a Etiópia considera essencial para sua eletrificação e desenvolvimento. A declaração do escritório de Abiy Ahmed surgiu quando novas imagens de satélite mostram que o nível da água no reservatório atrás da barragem da Renascença da Etiópia de quase US $ 4,6 bilhões, quase concluída, está no seu ponto mais alto em pelo menos quatro anos.

Leia mais aqui

UA e ONU criticam governo de Keita por resposta agressiva aos protestos no Mali

Via: CGTN Africa

A União Africana e as Nações Unidas condenaram o uso excessivo da força, utilizado pelo governo do Mali, durante os protestos das últimas semanas, que pedem a renúncia do presidente Ibrahim Boubacar Keita e a libertação de líderes da oposição detidos. Em um comunicado conjunto na noite de domingo (12/07), a missão da ONU no Mali, a União Africana, o bloco regional da África Ocidental, a CEDEAO e a União Européia criticaram o vandalismo dos manifestantes, mas reservaram suas críticas mais severas às autoridades. Potências internacionais e regionais temem que a turbulência política no Mali possa prejudicar suas campanhas militares contra insurgentes islâmicos na região do Sahel na África Ocidental. As Nações Unidas têm mais de 13.000 soldados de manutenção da paz no Mali.

Leia mais aqui