Arquivos anuais: 2019

Retrospectiva CEBRAFRICA 2019

O Centro Brasileiro de Estudos Africanos (CEBRAFRICA), núcleo multidisciplinar de pesquisadores e estudantes vinculado ao Centro de Estudos Internacionais sobre Governo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (CEGOV/UFRGS), tem a honra de compartilhar as atividades que foram realizadas pelo grupo no decorrer do ano de 2019:

O primeiro trimestre de 2019 inicia com a defesa da dissertação intitulada: “Da Convergência à Cooperação Militar: Israel e África do Sul durante o regime do Apartheid (1948-1994)”, de Cecília Pereira, em janeiro, pesquisa que fora desenvolvida no âmbito do Centro sob orientação da professora coordenadora Analúcia Danilevicz Pereira. Em março é publicado pelo CEBRAFRICA, o novo volume (Volume 3, número 6) da Revista Brasileira de Estudos Africanos – RBEA (disponível para download aqui). Já em abril, o doutorando Nilton Cardoso realiza a defesa de sua tese de doutorado, intitulada: “Segurança regional no Chifre da África (1974-2017): conflitos, atores, agendas e ameaças”.

Realizada pelo Departamento de Educação e Desenvolvimento Social da PROREXT/UFRGS, a 7ª Semana da África UFRGS: “Fluxos Transnacionais e Africanidade”, em maio, contou com a apresentação do trabalho “A Crise Anglofona no Camarões: condicionantes políticos e econômicos”, derivado de uma Análise de Conjuntura realizada pela doutoranda Camila Kowalski e pelo estudante Guilherme Geremias no âmbito do CEBRAFRICA. No mês seguinte, o Centro realiza, em parceria com o Instituto Latino Americano de Estudos Avançados (ILEA), o Seminário Comemorativo da Independência dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOPs) com a participação da comunidade acadêmica, representantes de Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau e Moçambique e de estudantes secundaristas da rede pública municipal de educação.

Agosto inicia com realização do doutorado sanduíche da pesquisadora Camila Andrade na Universidad Nacional de Rosario e de sua participação do IX Congreso Nacional de ALADAA Argentina nos dias 22 e 23 de agosto. Enquanto que setembro é marcado pela aprovação em 1º lugar de Nilton Cardoso, ex-bolsista e atual pesquisador do CEBRAFRICA e do Núcleo Brasileiro de Estratégia e Relações Internacionais (NERINT), no concurso para professor do curso de Relações Internacionais e Diplomacia da Universidade de Cabo Verde. Já em outubro, o Centro publica o novo número (Volume 4, número 7) da RBEA (também disponível para download aqui). Além da nova publicação, o mês de outubro contaria ainda com as participações da doutotanda Camila Andrade no II Seminário do PRECSUR (23 – 24/10 na Argentina) e do CEBRAFRICA no Salão de Iniciação Científica (SIC UFRGS), evento que integra o Salão UFRGS e que se constitui num espaço para a divulgação, promoção e o acompanhamento dos trabalhos de Iniciação Científica desenvolvidos por alunos de graduação da UFRGS e de outras Instituições de Ensino Superior (IES).

Em 2019, o Centro foi representado no XXXI SIC UFRGS através das apresentações, realizadas entre os dias 22 e 24 de outubro, das pesquisas desenvolvidas pelos seguintes estudantes: Artur Frantz (título do trabalho: “As Relações Turquia-Somália: análise de uma crescente aproximação”), Igor Sardo (título do trabalho: “Crise Cíclicas como Variável Independente da Mudança de Polaridade do Sistema-Mundo”), Camila Ayala (título do trabalho: “O Impacto do HIV sobre a Estrutura Social da África Austral (1981-2018)”), Daiana Jung (título do trabalho: “A Ascensão Chinesa no Sistema Internacional: A busca por uma posição num sistema em crise”), Eduardo Faustini (título do trabalho: “As Dinâmicas de Cooperação e Conflito entre África do Sul, Líbia e Nigéria na construção da União Africana”), Gabriela Santos (título do trabalho: “Independência dos PALOPS: A formação dos movimentos pela independência”), Guilherme Geremias (título do trabalho: “As Transições Democráticas na África: O caso da República Democrática do Congo”), Larissa Teixeira (título do trabalho: “O Pan-Africanismo de Kwame Nkrumah: análise e comparação com os escritos de V. I. Lenin”), Luiza Flores (título do trabalho: “A Formação do Estado Revolucionário de Burkina Faso e as Forças Políticas Atuantes no Processo”) e Salvatore Xerri (título do trabalho: “A Divisão Internacional do Trabalho na Teoria do Sistema-Mundo: centro, semiperiferia e periferia”), sendo os estudantes Artur Frantz e Eduardo Faustini reconhecidos com o prêmio de destaque de sessão por suas exposições.

No mês de novembro, a doutoranda Cecília Pereira apresenta o trabalho intitulado “Da convergência à Cooperação Militar: Israel e África do Sul durante o regime do Apartheid (1948-1994)” no III ERABED Sul, enquanto que, a mestranda Isabella Cruzichi e a Dr. Kamilla Rizzi apresentam o trabalho intitulado “Cooperação em defesa na CPLP: avanços e desafios do Brasil no Atlântico Sul”, no III ERABED Sul, em Santa Maria. Do dia 11/11 ao dia 21/11, a doutoranda Camila Kowaslki realiza sua pesquisa de campo na África do Sul e Moçambique sobre a instalação de empresas brasileiras no continente africano e, no dia 22/11, a mestranda Rafaela Serpa recebe o prêmio de 2º lugar no “IV Concurso de Monografias sobre Defesa Nacional” pela pesquisa desenvolvida no âmbito do CEBRAFRICA: “A União Africana e o Gerenciamento de Conflitos no Continente: a Arquitetura de Paz e Segurança Africana (APSA)”. Realizada anualmente, a iniciativa busca estimular estudantes de graduação a desenvolverem trabalhos relacionados à área.

Assim, ano de 2019 se encerra com as apresentações dos trabalhos de conclusão de curso dos estudantes Daiana Jung (título do trabalho: “A Ascensão Chinesa no Sistema Internacional: A busca por uma posição num sistema em crise” – Conceito A), Eduardo Faustini (título do trabalho: “As Relações entre a União Africana e a República Popular da China: integração regional e cooperação estratégica” – Conceito A), Rodrigo Cassel (título do trabalho: “O Chifre da África entre o Protagonismo Etíope e a Presença Extrarregional: uma nova correlação de forças?” – Conceito A) e Salvatore Xerri (título do trabalho: “Mais-Valia Global na Economia-Mundo Capitalista: o debate sobre desenvolvimento na teoria do Sistema-Mundo” – Conceito A). Dezembro contaria ainda com as aprovações do graduando Eduardo Faustini no Programa de Pós-Graduação de Mestrado em Políticas Públicas da Universidade, da mestranda Rafaela Serpa no Programa de Pós-Graduação de Doutorado em Ciência Política da Universidade, e da estudante Larissa Teixeira, no curso de férias promovido pela Academia de Haia de Direito Internacional (The Hague Academy of International Law), em janeiro de 2020.

O CEBRAFRICA deseja a todos que 2020 seja repleto de sucessos e novas conquistas!

Estados da África Ocidental devem interromper o uso do Franco CFA

Via: Africanewes

A União Monetária da África Ocidental aconcordou com a França em renomear seu franco CFA, o Eco, e cortar alguns dos vínculos financeiros com Paris que sustentam a moeda comum da região desde a sua criação, após a Segunda Guerra Mundial. Segundo o acordo, o Eco permanecerá atrelado ao euro, entretanto os países africanos do bloco não terão que manter 50% de suas reservas vinculadas ao Tesouro francês e não haverá mais um representante francês no conselho da União Monetária. Enquanto os defensores da moeda dizem que ela proporcionou estabilidade financeira em uma região às vezes turbulenta, os críticos do CFA há muito tempo o consideram uma relíquia dos tempos coloniais.

Leia mais aqui

Julius Malema pede a criação de um “Estados Unidos da África”

Via: The African Exponent

O político sul-africano líder do partido Economic Freedom Fighters (EFF), Julius Malema, reiterou seu apelo por uma África unida, qual derrubaria todas as barreiras geográficas. O discurso ocorreu após Malema ser reeleito líder do partido no fim de semana, sendo o EFF o terceiro maior partido da África do Sul de acordo com as últimas eleições gerais. O ex-dirigente do Congresso Nacional Africano (ANC) ainda acrescentou que o EFF estava usando a plataforma sul-africana, mas seu principal objetivo era alcançar a unidade continental no nível político: “Queremos liderar a África, queremos um Estados Unidos da África. Com uma moeda, com uma economia, com um parlamento, com um presidente e com um judiciário” afirmou o líder.

Leia mais aqui