Intercâmbios

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da UFRGS possui uma série de intercâmbios com diversos centros de pesquisa nas mais diversas áreas. A seguir uma lista parcial dos nossos parceiros:

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da UFRGS mantém vínculos institucionais tanto com as indústrias do III Pólo Petroquímico (em Triunfo, RS) quanto com renomados grupos de pesquisa do Brasil e do Exterior. Dada a forte interação com o setor produtivo, novas tecnologias estão sendo desenvolvidas. Visando preservar o direito da propriedade intelectual diversos registros de software já foram depositados assim como também uma patente.

No que diz respeito a parcerias com universidades nacionais, podem-se citar:

  • COPPE/UFRJ: Grupo do Prof. Argimiro R. Secchi;
  • UFRJ/Escola de Química: Grupo do Prof. Maurício Bezerra Jr.;
  • USP/Escola Politécnica: Grupo do Prof. Galo Carrillo Le Roux;
  • PEI/UFBA: Grupo do Prof. Ricardo de Araújo Kalid;
  • UFSCAR: Grupo do Prof. Roberto de Campos Giordano;
  • EMBRAPA: através do edital CAPES/EMBRAPA n° 015/2014, projeto “Desenvolvimento de métodos analíticos para a determinação da qualidade de couros e fertilizantes”;
  • UCS: Grupo das professoras Mára Zeni e Camila Baldasso.

No ano de 2010 foi aprovado o PROCAD (NF 21/2009) intitulado Rede de Engenharia Industrial – Ampliação e Consolidação. Esta rede tem como objetivo a formação de profissionais e o desenvolvimento de pesquisas e metodologias associadas à análise e resolução de problemas industriais notadamente complexos que contemplem, inclusive, a necessidade de um tratamento conjugado de fenômenos pertinentes a diferentes áreas do conhecimento. Esta proposta representa a possibilidade de desenvolvimento de novas teses de doutorado e dissertações de mestrado, além de oferecer ao corpo discente dos programas envolvidos alternativas concretas de prática de exogenia e a ampliação de atuação em pesquisa e docência para os docentes das equipes envolvidas, favorecendo a geração de trabalhos multidisciplinares e amplos, voltados também às necessidades da indústria nacional.

Os programas de pós-graduação que compõem este PROCAD são: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Industrial da UFBA (PEI/UFBA) e os Programas de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia (PPGEQ-FEQUI/UFU) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGEQ/UFRGS). Vale ressaltar que qualquer docente do PPGEQ pode participar desta rede dentro da sua área de atuação.

O PPGEQ também é integrante do projeto Biorrefinaria Virtual de Cana-de-açúcar (BVC) e da Rede de Modelagem e Simulação do Centro de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE). A rede é coordenada pelo CTBE e possui diversos participantes, entre eles os programas de Pós-Graduação em Engenharia Química e Mecânica da UNICAMP, UFSCar, COPPE-UFRJ, UFBA, UFPA.

Como já comentado, o PPGEQ tem uma forte interação com o setor produtivo, tendo convênios com as seguintes empresas:

  1. Petrobras: atualmente o GIMSCOP é um dos principais parceiros de Petrobras na área de Controle e Otimização de Processos, sendo desde 2003 considerado como grupo de referência nesta área. Através de uma parceria entre a UFRGS, PETROBRAS e a empresa TriSolutions, se desenvolveu o software BRperfX destinado à auditoria e diagnóstico de malhas de controle. Essa ferramenta é hoje a solução padrão Petrobras adotada em mais de 23 unidades de negócio (i.e., Unidades de Refino e Prospecção – Plataformas), sendo que no total mais de 20 mil malhas de controle estão sendo monitoradas em tempo real. As pesquisas atuais estão focadas na extensão das metodologias para incluir o diagnóstico e auditoria de processos e equipamentos;
  2. Braskem: vários projetos de pequeno porte foram desenvolvidos com a BRASKEM visando principalmente a capacitação de seus Engenheiros;
  3. Embrapa Agroenergia: em 2012 houve inicio uma parceria com a Embrapa Agroenergia nas áreas de Pirólise rápida e Produção de microalgas. Projetos de pesquisa foram e estão sendo submetidos em parceria visando estreitar e intensificar a cooperação e os desenvolvimentos científicos e tecnológicos;
  4. TriSolutions: a empresa TriSolutions é a primeira empresa spin-off fundada a partir de egressos do PPGEQ. Tem desenvolvido desde seu início em 2001 trabalhos e pesquisas em parceria com o PPGEQ e Petrobras.

O simulador de processos EMSO, criado no PPGEQ em 2001, e atualmente mantido e aprimorado no projeto ALSOC também tem sido motivo para intercâmbios de alunos. Anualmente alunos de diversas universidades fazem intercâmbios no PPGEQ durante seus estudos de mestrado e doutorado para que aprimorem seus conhecimentos nesta ferramenta. Em 2010 foi recebido um aluno da UFSCAR, em 2011 dois alunos da UFBA e em 2012 outros dois alunos da USP. Estas colaborações podem ser claramente mensuradas pelas recentes publicações conjuntas entre as entidades.

Como pode ser observado, além de colaborações com diversas universidades, o PPGEQ mantém parcerias tanto com grandes empresas quanto empresas gaúchas de pequeno porte, contribuindo para o seu desenvolvimento. Essas empresas de pequeno porte são grandes absorventes dos pesquisadores egressos do PPGEQ, mostrando claramente a ótima simbiose decorrente desta relação.

O PPGEQ vem atuando na inserção e cooperação internacional de diversas formas. Entretanto, conforme destacado anteriormente, ainda é um ponto a ser mais explorado. Destaca-se a organização de importantes eventos, na participação em comissões e entidades internacionais, na obtenção de prêmios de destaque internacional e em cooperações com universidades no exterior para pesquisas. Especial atenção está sendo dada para a qualificação tanto de alunos quando de docentes, através de estágios de doutorado sanduíche e pós-doutorado.

Há interações na forma de trabalhos acadêmicos, pesquisas e de co-orientações com as seguintes universidades e centros de pesquisa:

  • Universidade de Dortmund (Alemanha), Grupo do Prof. Sebastian Engell;
  • Universidade de Hannover (Alemanha), Grupo do Prof. BerndHitzmann (Área de Biotecnologia, PROBRAL-CAPES/DAAD);
  • Universidade de Carnegie Mellon (EUA). Grupo do Prof. Dr. Lorenz Biegler e grupo do Prof. Dr. Ignácio Grossmann;
  • Universidade de Aachen (Alemanha). Grupo do Prof. Dr. Wolfgang Marquardt e Prof. N. Peters;
  • Universidade de Alberta (Canadá). Grupo do Prof. Dr. Sirish L. Shah;
  • Forschungsinstitut für Lederund Kunststoffbahnen (FILK) de Freiberg (Alemanha), Prof. Dr. Michael Stoll;
  • Institut für Technische Verbrennung da RWTH-Aachen (Alemanha);
  • Technische Universität Darmstadt (Alemanha), Prof. C. Tropea;
  • Rutgers, a Universidade do Estado de New Jersey (EUA), Prof. Mukund V. Karw;
  • Ohio State University, Prof. Sudhir Sastry;Universidade de Lille I (França), Dr. Andrei Khodakov, Dr. Sébastien Tilloy e Dra. Mirella Virginie da Unité de Catalyse et Chimie du Solide, no contexto do Projeto CAPES-COFECUB;
  • Universidade do País Basco – UPV, Profa. Dra. Koro de La Caba.

Uma nova cooperação internacional entre o Departamento de Engenharia Química da UFRGS, com a participação do Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia, foi iniciada no ano de 2010 com a França. Esta cooperação faz parte do projeto BrafiTec que celebra uma nova parceira brasileira – o Departamento de Engenharia Química da UFRGS a uma nova parceira francesa, a Ecole National e Supérieure de Chimie de Clermond-Ferrand. Para cumprir o objetivo proposto os seguintes objetivos específicos foram propostos:

  • incentivar o intercâmbio entre grupos de estudantes de graduação em engenheira química dos dois países, e também entre professores e pesquisadores das cinco escolas de parceiras (Universidade Federal de Uberlândia/Universidade Federal do Rio Grande do Sul/ École Nationale Supérieure de Chimie de Montpellier / École Nationale Supérieure de Chimie de Lille / École Nationale Supérieure de Chimie de Clermont-Ferrand);
  • promover a adaptação das estruturas curriculares dos cursos nos estabelecimentos parceiros franceses e brasileiros, visando o reconhecimento e equivalência de créditos contribuindo para intensificar a dupla diplomação;
  • incentivar a realização de estágios nos laboratórios das instituições participantes e/ou empresas.

De forma inovadora, e considerando o desenvolvimento das relações institucionais entre os parceiros, esta proposta visa desenvolver atividades acadêmicas relacionadas ao tema “Engenharia Química e Biotecnologia para o Desenvolvimento Sustentável”.

Para tal, todos os intercâmbios de estudantes, professores e pesquisadores estarão ligados a níveis de forma gradual, a este tema. Essa opção tem também como objetivo a criação de temáticas de pesquisas mais inovadoras. Estas pesquisas levarão a doutoramentos conjuntos com um parceiro industrial envolvido: CIFRE e co-tutela. Assim, para alcançar estes objetivos, as seguintes ações são vislumbradas: criação der novos fluxos de alunos orientados pelo tema comum do projeto, contribuindo para o aprofundamento das relações já existentes e incentivo ao desenvolvimento de atividades em co-tutela, incluindo a formação de novos mecanismos de gestão para o intercâmbio de estudantes e professores. Atualmente dez alunos da UFRGS estão no projeto a cada ano.

As universidades francesas que integram o projeto Brafitec são então, na totalidade: