fbpx

Administração Pública
no Século 21 (EaD)

Apresentação

A Administração Pública como campo do conhecimento e prática social tem passado por profundas transformações. As disputas em torno dos projetos de desenvolvimento nacional e as distintas abordagens sobre a natureza e o escopo do serviço público trazem novos desafios para o administrador público na contemporaneidade, aumentando a importância da formação continuada.
Nesse contexto, o Curso de Especialização em Administração Pública no Século 21 foi pensado para:
o atualizar os debates e conhecimentos de servidores públicos e demais interessados no campo da Administração Pública com um programa efetivo de capacitação profissional;
o oferecer elementos analíticos que possibilitem a compreensão dos novos rumos da Administração Pública no Brasil frente aos desafios e perspectivas do século 21;
o aproximar Universidade e sociedade, possibilitando o aprofundamento das interlocuções entre teoria e prática no que tange à Administração Pública.
Edição: terceira (2020, 2021 e 2022).
Modalidade: a distância. A Escola de Administração faz uso da plataforma MOODLE, desenvolvida e mantida pelo CPD da UFRGS e em constante atualização. O curso utiliza o WEBEX como plataforma para aulas síncronas, possibilitando interação entre estudantes, docentes e tutores. Todas as atividades online ficam gravadas e podem ser acessadas posteriormente, permitindo que cada estudante se programe para realizar o curso nos horários de sua maior conveniência.
Duas provas, em datas a definir.
Público-alvo: servidores e funcionários públicos de todos os níveis da federação (municipal, estadual e federal), profissionais liberais, profissionais da iniciativa privada, consultores, agentes do terceiro setor e demais interessados em aprender sobre os novos rumos da Administração Pública no Brasil.
Número de vagas: 100
Período de realização: março de 2022 a Julho de 2024.
Tutoria: Como complemento ao corpo docente, o Curso de Especialização em Administração Pública no Século 21 conta com tutores nas disciplinas e na orientação de trabalhos de conclusão de curso. A equipe de tutoria tem experiência em cursos de educação a distância, e muitos tutores têm títulos de mestrado e doutorado e são docentes em outras instituições de ensino superior. Nesta proposta, estima-se uma relação ótima de um tutor para cada 25 alunos ao longo de todas as disciplinas.
Requisitos mínimos:
o Diploma de curso superior válido no Brasil
o Declaração de acesso aos recursos tecnológicos necessários para a realização do curso

Processo seletivo: Março de 2022
• Avaliação de documentos
• Análise conforme pontuação de critérios a ser especificada no Edital para Seleção de Cursistas.
Cronograma de ingresso:
• Inscrições: até dia 20 de Março.
• Processo Seletivo e Divulgação dos selecionados: até 25 de Março.
• Matrículas: até 27 de Março.
• Início das atividades: 28 de Março.

Coordenação: Prof. Dr. Paulo Ricardo Zilio Abdala
Coordenação de ensino: Prof. Dr. Rafael Kruter Flores
Gerência: Carolina Fauth Vassão
Contato: aps21@ufrgs.br

 

Processo Seletivo e Resultados

2022

PROCESSO SELETIVO

15/03/2022
Edital 01/2022 para Seleção de Cursistas

RESULTADOS

15/03/2022
Edital 01/2022 para Seleção de Cursistas – RESULTADO

INSCRIÇÕES

Inscrições encerradas
Dúvidas:  aps21@ufrgs.br

Disciplinas e Avaliações

Introdução ao Moodle (15 horas)
Introdução ao ensino/estudo a distância; Apresentação da plataforma Moodle; Introdução aos principais recursos da plataforma Moodle.

Problemas Brasileiros e Administração Pública (30 horas)
Quais têm sido, historicamente, os principais problemas brasileiros apontados por nossa intelectualidade e políticos? E quais os problemas atuais? Como a Administração Pública Estatal os tem enfrentado? E a Sociedade Civil? Essas são as questões principais que buscaremos responder ao longo da presente disciplina. Como sabemos haver uma enorme variedade de problemas, de tal modo que discutir sobre todos é uma tarefa impossível, principalmente no curso de uma disciplina de especialização, procederemos algumas escolhas e, sobre os problemas escolhidos, buscaremos compreender os desafios que estão colocados para o gestor público. Três desses problemas estão, de imediato, destacados: pobreza, justiça social e eficiência administrativa. Outros poderão ser escolhidos ao longo da disciplina.

Teorias e Práticas da Administração Pública (30 horas)
Administração Pública contemporânea: uma introdução ao contexto de práticas. Fundamentos teóricos da Administração Pública: abordagens weberianas e neo-weberianas; nova administração pública; governança pública. História recente da administração pública no Brasil como expressão dos fundamentos teóricos que orientam sua prática.

Inovação no Setor Público (30 horas)
Inovação na perspectiva schumpeteriana e neo schumpeteriana. A perspectiva dos organismos internacionais sobre Inovação no setor público. Inovação no setor público no Brasil: experiências e desafios. Novos arranjos no setor público e modernização. Temas emergentes em inovação no setor público.

Políticas Públicas na era do Neoliberalismo (30 horas)
As Políticas Públicas no contexto do Neoliberalismo. Principais abordagens na análise de políticas públicas. A formação de agenda de políticas públicas. Processo decisório: lógicas e modelos de análise. Relações entre formulação e implementação e políticas. Modelos de implementação de políticas. Controle e avaliação de políticas públicas. Singularidades das políticas públicas no Brasil atual. Novos papéis e responsabilidades dos entes federativos nas políticas públicas.

Planejamento estratégico (30 horas)
Perspectivas sobre planejamento. Relevância do planejamento. Abordagens e contextos para a ação planejada. Planejamento, administração pública e incerteza. Possibilidades e limitações do planejamento na administração pública.

Métodos de Pesquisa Científica (30 horas)
Compreender a função da pesquisa no processo de formação de um profissional; utilizar técnicas de leitura e análise de textos; identificar os conceitos de ciência, sua aplicação, fases e importância; descrever os tipos de pesquisa existentes; identificar e descrever os procedimentos e técnicas necessárias para se realizar trabalhos científicos; analisar de forma crítica um artigo científico; identificar os caminhos, estrutura e modelos a serem seguidos na elaboração de um artigo científico.

Ciclo de palestras (15 horas)
A disciplina consiste em um ciclo de palestras com profissionais de relevo de diversas áreas da gestão pública, versando sobre os temas e os desafios atuais colocados pelos novos rumos da área no Brasil.
As atividades ocorrerão por meio de transmissões ao vivo via Youtube. O cronograma e o nome dos palestrantes será confirmado ao longo do curso.

Gestão de Processos (30 horas)
Aspectos essenciais da função de organização de processos e sua atualidade como instrumento de intervenção planejada. Fases e instrumentos da análise administrativa. Conceitos básicos de organização e métodos, processos organizacionais e processos governamentais.

Orçamento Público (30 horas)
Finanças públicas: teorias e conceitos. Política fiscal e atividade econômica do Estado. Tributação e gasto público. Sistema orçamentário e processo orçamentário. O orçamento como instrumento de gestão pública. Legislação que regulamenta os orçamentos públicos e o papel dos vários órgãos do governo no processo orçamentário.

Gestão de Pessoas (30 horas)
Relações e mudanças no mundo do trabalho da Administração Pública; Gestão de carreiras, desempenho e remuneração na Administração Pública; Competências, flexibilização e precarização do trabalho na Administração Pública; Reconhecimento e saúde mental no cotidiano do trabalho; Dilemas na carreira e inserção na Administração Pública; O sistema de gestão de pessoas na Administração Pública: poder, reconhecimento e liderança; Desenvolvimento de servidores públicos. Assédio moral no trabalho.

Gestão de Indicadores (15 horas)
As atividades de formulação, monitoramento e avaliação de políticas públicas vêm requerendo, em nível crescente, o uso de informações estatísticas e indicadores referidos às diferentes áreas de atuação governamental. Indicadores fornecem bases mais consistentes para justificar a demanda de recursos para um determinado projeto a ser encaminhado a alguma instância de governo ou agência de fomento, para sustentar tecnicamente a relevância dos programas especificados nos Planos Plurianuais ou para monitorar periodicamente os efeitos da ação governamental. Diagnósticos socioeconômicos com escopo abrangente e com detalhamento geográfico adequado são insumos básicos para orientar o planejamento governamental e para formulação de programas públicos mais ajustados à natureza e gravidade dos problemas vivenciados. Sistemas de monitoramento, por sua vez, contribuem para a gestão mais eficiente dos programas governamentais. Enfim, indicadores são a base informacional de diagnósticos para programas governamentais e sistemas de monitoramento.

Governo Eletrônico (30 horas)
Tipos de Sistemas de Informação. Planejamento, desenvolvimento, implementação e avaliação de Sistema de Informações Gerenciais. Estruturação da tecnologia de informação e comunicação no setor público. Planejamento estratégico de sistemas de informação governamental. Tecnologias Emergentes e suas aplicações empresariais. Participação online: e-democracia, e-participação, ciberativismo.

Gestão de Projetos (15 horas)
Abordagens teóricas para a elaboração de projetos sociais e de políticas públicas, em sua relação com as diferentes concepções de intervenção social. Monitoramento e a avaliação de projetos. Indicadores como instrumentos de concepção, gestão e avaliação de projetos.

Metodologias de Ensino
As tarefas devem compreender diferentes atividades, tais como vídeo-aulas, leituras, participações em fóruns e chats, desenvolvimento de exercícios, prova online, estudos, relatos e outros. As atividades serão organizadas em módulos divididos por semanas, com uma disciplina de 30 créditos correspondendo a quatro semanas. Estão previstos recursos didáticos como: vídeos, videoconferências, leitura e desenvolvimento de tarefas de fixação de conceitos e de assimilação dos recursos do Ambiente Virtual de Aprendizagem, tais como: desenvolvimento de exercícios, desenvolvimento de um relato, participação em fórum de discussão, acesso a acervo de recursos e materiais diversos, acompanhamento da sequência de atividades, acompanhamento de notícias, envio de recado, avaliação via quiz e postagem de arquivo.

Critérios de avaliação

  • 60% nota EAD
  • 40% nota da prova

As notas finais obtidas serão convertidas em conceitos, da seguinte forma:

Atribuição de Conceitos:

(9,0 a 10) = A – Ótimo
(7,5 a 8,9) = B – Bom
(6,0 a 7,4) = C – Regular
(0,0 a 5,9) = D – Insatisfatório (reprovação)

Corpo docente

  • Ariel Behr, Mestre e Doutor em Administração com ênfase em Sistemas de Informação e Apoio à Decisão; Docente do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) e do Programa de Pós Graduação em Controladoria e Contabilidade (PPGCont); coordenador do sistema da Universidade Aberta do Brasil na UFRGS.
  • Ariston Azevendo Mendes,Graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Mestrado em Administração (1997) e Doutorado em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). É professor da Escola de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EA/UFRGS). Os seus temas de interesses são: Pensamento Social Brasileiro, Educação Superior em Administração, História Intelectual e Teorias das Organizações.
  • Christine da Silva Schröeder, Mestre em Administração com ênfase em Recursos Humanos e Doutora em Administração com ênfase em Organizações; Líder do Grupo de Pesquisa NAVI (http://www.ufrgs.br/gpnavi) da UFRGS.
  • Cristina Amélia Pereira de Carvalho, Mestre em Administração e Doutora em Ciências Econômicas e Empresariais; Pesquisadora do grupo de pesquisa Observatório da Realidade Organizacional. Seus interesses de pesquisa são as mudanças no universo da cultura e das organizações culturais, discursos e práticas transformadoras nos campos sociais e nas organizações.
  • Diogo Joel Demarco, Mestre e Doutor em Educação; Docente permanente do Programa de Pós-Graduação Profissional em Economia (PPECO/UFRGS). Vice-diretor do Centro de Estudos Internacionais sobre Governo (CEGOV/UFRGS) e pesquisador do GT-Gestão Pública, Município e Federação. Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Gestão Municipal: capacidades estatais, federalismo e administração municipal para o desenvolvimento na América Latina (NUPEGEM).
  • Fernando Dias Lopes, graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Santa Maria (1990), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994) e doutorado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003). Atualmente é professor associado IV da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando no Programa de Pós Graduação em Administração. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Teoria Organizacional, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria institucional e lógica institucional, Inovação no Setor Público, Empreendedorismo e Gestão da Cultura.
  • Gabriela Musse Branco
    Graduada e Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é diretora do Departamento de Gestão Integrada da UFRGS, atuando nas seguintes áreas: Governança, Gestão de Riscos, BPM, Arquitetura de Processos, Planejamento Estratégico e Gestão de Projetos.
  • Guilherme Dornelas Camara, Mestre e Doutor em Administração; Membro do Grupo de Pesquisa Organização e Práxis Libertadora; Editor-chefe da REAd (UFRGS); Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • Maria Ceci Misoczky, Professora Titular da Escola de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e do seu Programa de Pós-Graduação. Co-Chair do Critical Management Studies International Board. Secretária General da Red de Estudios Organizacionales de Latino-América (REOL). Graduada em Medicina pela UFRGS(1978), Mestre em Planejamento Urbano e Regional (1990) e Doutora em Administração também pela UFRGS. Membro e co-fundadora dos Grupos de Pesquisa Organização e Práxis Libertadora e Gestão em Saúde. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Estudos Organizacionais, Gestão em Saúde e Administração Pública.
  • Paulo Ricardo Zílio Abdala, Mestre e Doutor em Administração; Especialista em Comunicação com o Mercado; Membro do Grupo de Pesquisa Organização e Práxis Libertadora; Foi Presidente da Sociedade Brasileira de Estudos Organizacionais; Docente do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA); atual Chefe do Departamento de Ciências Administrativas da UFRGS; Coordenador do Curso de Especialização em Administração Pública no Século 21.
  • Pedro de Almeida Costa, Professor associado da Escola de Administração (EA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui doutorado em Administração pela UFRGS (2008). Trabalha com projetos de pesquisa e extensão na área de gestão social e tecnologias sociais. Membro do Núcleo de Estudos em Gestão Alternativa (NEGA), grupo de pesquisa e de extensão da EA/UFRGS. Desenvolve investigações sobre financiamento, gestão e autonomia na educação superior. Faz parte da Rede de Pesquisadores em Gestão Social (RGS) e compõe o Conselho Consultivo da Associação Nacional de Ensino, Pesquisa e Extensão no Campo de Públicas (ANEPCP).
  • Rafael Kruter Flores, Docente e pesquisador na Escola de Administração e no Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordenador do grupo de pesquisas Organização e Práxis Libertadora. Doutor em Administração, na área de concentração Estudos Organizacionais pelo PPGA/UFRG, com período sanduíche no Sustainability Institute da Universidade de Essex (Reino Unido). Membro fundador da Sociedade Brasileira de Estudos Organizacionais. Coordenador de Ensino do Curso de Especialização em Administração Pública no Século 21.
  • Roger dos Santos Rosa,Doutor em Epidemiologia/PPGEPi-UFRGS (2006), Mestre em Administração – área de Finanças/PPGA-UFRGS (1995), especialista em Medicina Preventiva e Social/Hospital de Clínicas de Porto Alegre (1989) e em Saúde Pública/ENSP-FIOCRUZ (1990), graduado em Medicina/UFRGS (1987) e em Administração Pública/UFRGS (1996). É Professor do Departamento de Medicina Social da UFRGS (1991-) e Analista do Banco Central do Brasil (1994-). Desde 1995, coordena o Curso de Especialização em Saúde Pública/UFRGS. É professor orientador do Mestrado Acadêmico em Saúde Coletiva/UFRGS (2013-), do Doutorado em Epidemiologia (2021-) e dos Mestrados Profissionais em Ensino na Saúde/UFRGS (2013-) e Saúde da Família/UFRGS (2020-). Coordena o Programa de Extensão e Pesquisa em Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades (2013-). Foi Coordenador de Recursos Humanos e Financeiros da Gerência Administrativa do Banco Central do Brasil em Porto Alegre (2019-2021) e Consultor da OPAS/OMS para o projeto UrbanHeart e Governança em Porto Alegre (SDE1300-3)(2013-2014). Participou como membro titular do Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre (1997-2017) e suplente do Conselho Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (1994-2014). Atua na área de Saúde Coletiva/Saúde Pública com interesse nos temas epidemiologia, administração e planejamento em saúde, vigilância em saúde, economia da saúde e administração pública.
  • Takeyoshi Imasato, Possui graduação em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002), mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005) e doutorado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (2010). Atualmente é Diretor da Escola de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (mandato 2018-2022). Exerceu o cargo de chefe no Departamento de Ciências Administrativas (DCA/UFRGS) pelo período de 2014 a 2017. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em estudos organizacionais, estratégia e administração pública.

Investimento

O curso foi pensado para oferecer uma formação de alta qualidade por um preço justo, posicionando-se em termos de investimento abaixo de grande parte da oferta de especializações similares. O conceito consiste em disseminar conhecimento atual e sólido com a chancela de uma instituição reconhecida e com corpo docente de reconhecimento internacional por um preço acessível.

Matrícula: R$ 400,00 (após a inscrição e processo seletivo)

Parcelamento: 15 x R$ 397,20 ou ou 18 x R$ 331,00 (sem juros)

Valor total das mensalidades: R$ 5.958,00

Pagamento à vista: 10% de desconto
R$ 5.362,20

Alunos aprovados em disciplinas de edições anteriores do curso não precisam pagar novamente estes créditos. Entre em contato pelo e-mail se este for seu caso.

Especializações na Escola de Administração

UFRGS é uma das melhores universidades do Brasil. Desde 2012, é a universidade federal com o melhor IGC (Índice Geral de Cursos), calculado pelo MEC (Ministério da Educação). Na formação continuada, a UFRGS destaca-se no cenário acadêmico nacional, entre outros aspectos, pela qualidade e abrangência de seus programas de pós-graduação.

A Escola de Administração (EA) também tem conceito máximo (5) no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes). Conta com um quadro de mais de 70 professores, de diversas áreas da Administração: Administração Pública, Estudos Organizacionais, Finanças, Gestão de Pessoas, Gestão de Tecnologia, Gestão de Sistemas de Informação, Gestão de Pessoas, Finanças e Marketing. A EA já formou mais de 3 mil especialistas e mais de mil mestres e doutores em Administração.

Com relação à formação continuada em Administração Pública, a Escola de Administração já desenvolveu cursos em parceria com o SERPRO, Banco do Brasil, Correios, Ministério da Cultura, Ministério da Saúde, Banco do Estado do Rio Grande do Sul, entre outros.

Além do relevante desempenho no ensino presencial, a atuação da EA/UFRGS também merece destaque na modalidade de educação a distância (EAD), como nos cursos que seguem:
• Curso de Especialização em Gestão Pública em parceria com a Universidade Aberta do Brasil (CAPES): 3 edições concluídas;
• Curso de Especialização em Gestão de Saúde em parceria com a Universidade Aberta do Brasil (CAPES): 3 edições concluídas;
• Curso de Especialização em Negociação Coletiva no Âmbito do SUS para o Ministério da Saúde;
• Curso de Especialização em Gestão Pública para o SERPRO;
• Curso de Capacitação de Gestores de Restaurantes Populares, do Ministério do Desenvolvimento Social 2 edições – 165 alunos;
• Curso de Capacitação em Gestão Financeira do SUS, do Ministério da Saúde – 4 turmas, 1.800 alunos;
• Curso de Especialização em Gestão Pública Contemporânea (CEAPC) na sua 10ª edição;
• Curso de Especialização em Gestão de Negócios Financeiros do Banco do Brasil (GNF-BB), 621 alunos;
• Curso de Graduação em Administração a distância, 450 alunos;
• Curso de Preparação à Magistratura, da Escola Superior da Magistratura do RS, 100 alunos.

Contato

CoordenaçãoProf. Dr. Paulo Ricardo Zilio Abdala 

Coordenação de ensinoProf. Dr. Rafael Kruter Flores

Gerência: Carolina Fauth Vassão

Contatoadmps21@ufrgs.br