Convite para a defesa de tese de ÍGOR RENZ CADORE


O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul tem a satisfação de convidar a Comunidade Universitária para assistir a defesa pública da tese de doutorado do Mestre em Engenharia Química ÍGOR RENZ CADORE a realizar-se:

  • Data: 24 de setembro de 2019 – terça-feira
  • Horário: 09:00 horas
  • Local: Auditório 3 – Prédio 22.202 – Anexo I/Saúde
    Rua Ramiro Barcelos, 2.777 – Campus Saúde/UFRGS

TÍTULO

“PREPARAÇÃO DE MEMBRANAS DE POLI (TEREFTALATO DE ETILENO) (PET) PELA TÉCNICA DE INVERSÃO DE FASES”

BANCA

  • Profª Camila Baldasso – UCS
  • Prof. Carlos Arthur Ferreira – DEMAT/UFRGS
  • Profª Rosane Michele Duarte Soares – IQ/UFRGS

ORIENTADORES

  • Profª Isabel Cristina Tessaro – DEQUI/UFRGS
  • Prof. Nilo Sérgio Medeiros Cardozo – DEQUI/UFRGS

RESUMO

As membranas comerciais disponíveis são, em sua maioria, produzidas através da técnica de inversão de fases e utilizam polímeros de alto desempenho, mas que possuem alto custo, como polissulfonas e poli-imidas. O poli(tereftalato de etileno) (PET) é um polímero mundialmente conhecido que vem emergindo como alternativa de matéria-prima na produção de membranas devido à excelente relação que possui entre suas propriedades e seu custo de produção. Entretanto, encontram-se poucos estudos que exploram o potencial do PET para essa aplicação. O objetivo geral deste trabalho é preparar membranas de PET virgem pela técnica de inversão de fases utilizando como solvente misturas de ácido trifluoracético (TFA) e diclorometano (DCM) em diferentes proporções volumétricas e relacionar as características das membranas produzidas às características termodinâmicas do sistema. Os resultados do estudo termodinâmico mostraram que o sistema PET/(TFA+DCM)/água possui as características necessárias de um sistema formador de membranas e que o aumento da proporção volumétrica de DCM no solvente causou maior instabilidade no sistema. A estrutura química e a hidrofilicidade das membranas não foram afetadas pela adição de DCM. As membranas apresentaram comportamento hidrofílico e, pelas micrografias, observa-se a formação de membranas porosas com estrutura esponja, fina camada de topo e alguns macrovazios em forma de lágrimas, os quais parecem ser suprimidos com o aumento da concentração de DCM na solução inicial. A tensão de ruptura das membranas aumentou com a adição de DCM e com o aumento da concentração polimérica, sendo possível obter membranas de PET com boa resistência mecânica e sem o uso de aditivos. Os experimentos de filtração resultaram em fluxos permeados na faixa de micro e ultrafiltração, além de que o aumento de DCM melhorou a permeância hidráulica das membranas, embora tenha se observado uma tendência de diminuição da seletividade.