fbpx

Retomada das atividades / ERE

Informações e atualizações sobre o processo de retomada de atividades na Escola de Administração da UFRGS

ERE - Ensino Emergencial Remoto

SEMESTRE 2020/2

O Calendário Acadêmico para o semestre 2020/2 foi homologado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) nesta quarta-feira, dia 11 de novembro. As aulas de graduação desse período letivo serão realizadas entre os dias 25 de janeiro e 29 de maio de 2021, permanecendo o sistema de Ensino Remoto Emergencial (ERE).

A votação final do parecer nº37/2020 do CEPE levou em conta as adaptações por causa da pandemia de covid-19 e os procedimentos para elaboração de planos de ensino e realização das matrículas dos calouros. A publicação oficial do Calendário será feita pela Pró-Reitoria de Ensino (Proens) nos próximos dias. A definição da data do Vestibular 2021 ocorrerá posteriormente.

Matrícula

No dia 11 de janeiro será publicada a faixa horária da matrícula de calouros ingressantes em 2020/2, que acontecerá em cinco dias úteis, de 18 a 22 de janeiro. Para os veteranos, o período de encomenda de matrícula será de 18 a 23 de dezembro, pelo Portal do Aluno.

Leia também:

Resolução 25/2020 – Regulamentação do Ensino Remoto Emergencial na UFRGS

Foto: Gustavo Diehl

Notícia original: http://www.ufrgs.br/ufrgs/noticias/ufrgs-aprova-realizacao-de-mais-um-semestre-no-formato-remoto

 


 

Início das aulas do Ensino Remoto Emergencial na UFRGS será em 19 de agosto

Apoio a docentes:


A proposta de Ensino Remoto Emergencial (ERE) foi apresentada pela Pró-Reitoria de  Graduação (Prograd) e tem a finalidade de regulamentar uma alternativa de ensino para o semestre 2020/1 enquanto perdurar a necessidade de distanciamento social por força da pandemia de Covid-19. O ERE foi aprovado pelo CEPE – Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFRGS no dia 27 de agosto (ver  notícia acima).

Segundo a Prograd, o objetivo principal na proposição do ERE é evitar a desmobilização da comunidade discente, reduzindo com isso o risco de evasão. Antes da apresentação da proposta, reuniões virtuais foram realizadas e o documento foi aberto em ambiente Wiki colaboração, para o recebimento de contribuições. Posteriormente, foi constituído o GT de Consolidação.

O número de processo no Sistema Eletrônico de Informações (SEI) é 23078.513365/2020-53.

Leia abaixo o comunicado da PROGRAD – Pró-Reitoria de Graduação da UFRGS sobre o ERE – Ensino Emergencial Remoto, publicado em 29/06/2020 (Disponível em https://www.ufrgs.br/prograd/nota-da-prograd-a-comunidade-universitaria).


À Comunidade Universitária,

Ao saudá-los, gostaríamos de nos dirigir a tod@s esperando que estejam bem, tomando os
cuidados recomendados para o enfrentamento desta situação de excepcional gravidade que a
todos preocupa e traz sofrimento.

Intencionamos fazer um sucinto relato da linha do tempo e dos pressupostos e elementos
fundantes relativos à discussão do Ensino Remoto Emergencial (ERE) em nossa universidade,
para ser realizado enquanto perdurar a necessidade de distanciamento social por força da
Pandemia da COVID-19.

A proposta teve sua motivação considerando:

1) que a CoViD-19 foi considerada Pandemia pela Organização Mundial da Saúde;
2) a Declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional, expressa na
Portaria no 188/GM/MS/2020, do Ministério da Saúde;
3) a Lei 13.979/2020, que determina medidas de enfrentamento de emergência em saúde
pública de importância internacional da CoViD-19;
4) o disposto nas Portarias MEC no 343 de 17/03/2020, no 345 de 19/03/2020 e no 395 de
15/04/2020;
5) o disposto na Portaria do Reitor da UFRGS no 2286 de 17/03/2020, e suas prorrogações;
6) a proposta de Parecer sobre a reorganização dos calendários escolares e realização de
atividades pedagógicas não-presenciais durante o período de excepcionalidade causado pela
Pandemia, apresentado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e aprovado pelo Conselho
Pleno do CNE em 28/04/2020.

Inicialmente, quanto à linha do tempo, importa lembrar que a UFRGS, a partir da Portaria no
2286 de 17/03/2020 possibilitou a execução de atividades em EaD por disciplinas autorizadas
pelas suas respectivas COMGRADs, o que foi realizado inicialmente por cerca de 30% dos cursos
de graduação, tendo havido uma gradual ampliação nas últimas semanas.

No entanto, tendo em vista a percepção, apoiada nas previsões de cenários realizadas por
grupos de pesquisa no Brasil e no exterior, de que a necessidade de distanciamento social e de
proteção às vidas de docentes, discentes, TAs e terceirizados da comunidade da UFRGS poderia
prolongar-se para além do inicialmente vislumbrado no princípio, no mês de março, a PROGRAD
deu início a um processo amplo de discussão, a partir de um documento preliminar encaminhado
no início de maio por esta Pró-reitoria à discussão e construção pelo Fórum de COMGRADs,
Departamentos, Câmara de Graduação, Representação Discente nas COMGRADs e na
CAMGRAD.

Amplas reuniões virtuais foram realizadas, e o documento de proposta foi aberto em
ambiente Wiki colaboração para que todos pudessem, em rede e horizontalmente, oferecer suas
contribuições. Tal documento ficou disponível para edição por cerca de 2 semanas, período após o
qual constituímos um GT de Consolidação, composto pelo Pró-reitor de Graduação, por
representantes da PROGRAD, CAMGRAD, Fórum de COMGRADs, Coordenadores de
COMGRADs, Chefes de Departamento, Diretores de Unidade, TAs e Representação Discente.

Este grupo realizou a compilação das sugestões, buscando dar congruência às mesmas, o que
vale registrar que propostas que se contradissessem entre si obviamente não poderiam ser
integralmente consignadas na proposta final, devendo o GT realizar escolhas, na busca de uma
proposta que fizesse sentido academicamente. Estas escolhas implicaram, inclusive, a proposição
e aceitação de pontos que diferiram substancialmente da proposta originalmente apresentada para discussão pela PROGRAD.

Podemos afirmar que o trabalho realizado, por sua metodologia colaborativa, amplitude (86
COMGRADs, mais de 90 Departamentos participantes), ineditismo e premência, provavelmente só encontre paralelo, na história recente da UFRGS, com a discussão da mudança estatutária e
regimental realizada na década de 1990. A proposta final, fruto desta construção coletiva, foi
encaminhada em 8/6 ao Reitor, enquanto presidente do CEPE, e às COMGRADs, Departamentos
e Direções de Unidade.

Paralelamente a este trabalho, a PROGRAD, com o apoio do CPD, realizou no mês de maio
ampla consulta ao corpo discente relativamente à possibilidade de realização de atividades
pedagógicas não-presenciais durante este período excepcional (vídeoaulas, videoconferências,
exercícios domiciliares ou outras atividades/ferramentas). Tal questionário foi atendido por
significativa parcela de alunos de graduação (cerca de 15 mil respondentes), o que permitiu o envio dos resultados segmentados a cada COMGRAD, Departamento e Direção de Unidade, para
conhecimento da situação particular, também subsidiando e permitindo o dimensionamento na
formulação dos editais do Plano de Assistência Estudantil extraordinário, destinado a alunos em
situação de vulnerabilidade.

Isto posto, é mister reafirmar-se a contrariedade à substituição de carga horária presencial
por EaD em condições normais, o que representaria, no nosso entendimento, uma precarização do ensino e da carreira docente. No entanto, emergencial e temporariamente, para possibilitar a
manutenção de atividades de formação cognitiva discente e das tarefas docentes de ensino, com
base em sugestões oriundas de unidades acadêmicas e de outras IFES, pôde-se discutir
alternativas como as que foram consolidadas a partir do wiki do Moodle Colaboração e submetidas ao CEPE.

É necessário também fazer-se a distinção entre Educação a Distância e “Ensino Remoto de
Emergência”. Este último visa recriar um ecossistema educacional que forneça acesso temporário
a suportes de ensino e de instrução de uma maneira rápida e de fácil configuração, de modo a
responder ao fechamento de universidades em tempos de crises. É importante ressaltar também
que alguns tipos de atividade à distância, diferente de EaD, podem ser úteis a muitos alunos, para
manter algum avanço cognitivo no semestre.

O semestre Emergencial Remoto deverá ser entendido como um período que existe na
impossibilidade do transcurso “normal” do semestre 2020/1, caracterizando-se numa oferta
excepcional de conteúdos programáticos e de atividades realizadas de forma remotas durante sua
execução. A proposição de um plano de oferta de conteúdos programáticos e de atividades
remotas (virtuais), baseado em atividades não-presenciais, não representa a migração para a
Educação a Distância, modalidade com identidade e características bem definidas, e metodologia,
programação e design próprios, em contraposição à educação presencial.

O objetivo principal da universidade na proposição da ERE é evitar a desmobilização da
comunidade universitária, reduzindo com isso o risco de evasão discente. A possibilidade de
manutenção da relação universidade-discente e a continuidade do ambiente de aprendizagem e
avanço cognitivo serão reforçadas com esta iniciativa, considerando que ainda não é possível
prever o momento de sua retomada presencial.

O ERE se apresenta em nossa comunidade universitária como compromisso social e
institucional com a formação acadêmica de qualidade e com a produção e socialização do
conhecimento. Se apresenta para potencializar a promoção, a manutenção e a valorização de
atividades intelectuais, o fortalecimento da sensação de pertencimento, da promoção da
solidariedade, da troca de conhecimentos e da preservação da saúde mental, do vínculo e da
interação social entre todos os membros da comunidade universitária.

Agradecemos aos mais de 200 colegas e discentes que contribuíram na construção desta
proposta do ERE, em especial aos membros do GT de Consolidação, e reafirmamos nossa certeza
de a mesma certamente está sendo qualificada pelo CEPE especialmente através da sua
constituição ampla e representativa.

Por derradeiro, aproveitamos a oportunidade para desejar a todos que mantenham os
cuidados necessários para si e para suas famílias. A observação das recomendações das
autoridades/profissionais da saúde (quer sejam as nacionais quanto a OMS), aliada à
compreensão do divulgado pela boa Ciência, fará com que consigamos, juntos, ultrapassar esta
fase difícil para todos. Fiquem bem!

Saudações universitárias,

Prof. Vladimir Pinheiro do Nascimento
Pró-reitor de Graduação

A UFRGS e a EA durante a pandemia

O prédio da EA fechou no dia 17 de março, logo após a publicação da Portaria que suspendeu as atividades presenciais na Universidade. Esta Portaria foi renovada diversas vezes desde então, e ainda não há previsão de volta das atividades presenciais.

Nesse período, a entrada na EA está sendo permitida apenas a seis profissionais terceirizados, que cuidam da segurança e limpeza da EA, e a casos de extrema necessidade.

Em tempos tão difíceis, torna-se ainda mais marcante a importância das universidades no Brasil.  Elas trabalham em iniciativas de pesquisa, ensino e extensão para fazer frente às consequências da epidemia. A comunidade da UFRGS está engajada em dezenas de atividades online. Notícias e atualizações podem ser acessadas em https://www.ufrgs.br/coronavirus/

Paralelamente, é hora de cuidar da retomada das atividades acadêmicas. Além da discussão sobre o ERE – Ensino Remoto Emergencial, é preciso pensar em apoio técnico e pedagógico a discentes e docentes, condições de trabalho de técnicos e terceirizados, normas de prevenção e distanciamento, higiene e limpeza. Estamos nos adaptando para continuar sendo uma Universidade de excelência, guiados pelo respeito à diversidade e aos princípios democráticos que devem garantir o acesso igualitário ao ensino público, gratuito e de qualidade.

Por isso, no início do mês de junho, a EA reuniu Direção, Gerência, DCA, COMGRAD, PPGA, representantes discentes, técnicos-administrativos, COMEX, COMPESQ, COSAT e CEPA em grupos de trabalho (GTs) para o planejamento da retomada das atividades da Escola de Administração. As atas das reuniões nas quais o Conselho da Unidade discutiu a criação dos GTs de planejamento são de acesso público e podem ser acessadas na Intranet da EA: Ata 07, de 03/06; Anexo com a proposta dos GTs; Ata 08, de 24/06.

Esta página tem como objetivo a transparência do processo desde seu início, facilitando o acesso às informações que vão guiar a comunidade da EA no desafio da retomada.

Vale lembrar que a direção da EA está sempre aberta ao diálogo e incentiva a participação ativa de estudantes, docentes e técnicos. Todos os setores da Escola podem ser contatados em https://www.ufrgs.br/escoladeadministracao/contato/. Para o contato com professores, a página é https://www.ufrgs.br/escoladeadministracao/institucional/dca-quadro-docente/

GT Diretrizes acadêmicas

A base das novas diretrizes acadêmicas é o ERE – Ensino Remoto Emergencial, que só será adotado após aprovação pelo CEPE – Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFRGS. Assim, muitas das diretrizes devem ser definidas pela Universidade.

Para que a EA possa adaptar seus currículos ao ERE, este grupo de trabalho, em conjunto com docentes, estudantes e setores acadêmicos (COMGRADs, PPGA e Pedagógico), deve tratar das seguintes questões:

  • Como serão elaborados os novos planos de ensino das disciplinas ministradas na EA: súmula, metodologia, experiências de aprendizagem, critérios de avaliação, atividades de recuperação e bibliografia.
  • Uso do AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem (Moodle Acadêmico) e MConf.
  • Possibilidade de realização de atividades síncronas e assíncronas: o que acontecerá em horário de aula e o que ficará gravado.
  • Como funcionará o controle de frequência.
  • Como vamos garantir a colação de grau de formandos durante o período de ERE.
  • De que forma se dará a produção de conteúdo neste período de excepcionalidade: garantir condições técnicas para que os docentes se adaptem a um novo modo de dar aulas (leia mais abaixo, na aba “Apoio aos docentes”).

 

GT Infraestrutura, prevenção e segurança

Este grupo de trabalho é voltado ao estudo de ações para uso dos espaços físicos e de recursos materiais da EA, a partir das orientações estabelecidas em protocolos que definem as medidas de prevenção ao contágio pela COVID-19.

Este planejamento tem grande importância na primeira fase da retomada, pela possibilidade dos estudantes sem acesso a internet ou computadores poderem fazer uso de laboratórios de informática adaptados nas instalações da EA, bem como os docentes sem infraestrutura em suas residências.

Com relação a infraestrutura, serão definidas as seguintes questões:

  • Quais serão os protocolos de higiene, limpeza e proteção.
  • Como será feito o agendamento de uso do espaço físico.
  • Como se dará o acesso de professores aos gabinetes, levando em consideração que 40% dos docentes da EA estão em pelo menos um grupo de risco.
  • Protocolos de distanciamento.
  • Setores administrativos: quais atividades terão atendimento presencial e quais seguem exclusivamente remotas. Há possibilidade de revezamentos, visto que pelo menos 30% dos técnicos da EA fazem parte de grupos de risco.
  • Profissionais terceirizados: como a EA garantirá sua segurança e organizará os horários de trabalho presencial.
  • Regime de plantão da Biblioteca, com protocolos para salas de estudo, espaços comuns e acervo.
  • Disponibilidade do estúdio de gravação da EA.
  • Uso de espaços discentes como PS Junior e CAEA.
  • Uso de banheiros, saguão, pátio, etc.

GT Apoio a discentes

Este grupo de trabalho discute o apoio aos estudantes na retomada em formato ERE – Ensino Emergencial Remoto, seu funcionamento e a capacidade de abarcar todos os estudantes, garantindo a qualidade no processo ensino-aprendizagem. É importante ressaltar que as diretrizes sobre o ERE serão fornecidas pela Universidade. Portanto, o GT de Apoio a Discentes se propõe a mediar o processo de adaptação dos alunos da EA ao novo formato.

Uma das maiores preocupações dos estudantes sobre o ensino remoto é a falta de acesso a equipamentos, especialmente de estudantes de baixa renda,  e condições familiares e pessoais que podem interferir na rotina de estudos. Por isso, os principais pontos discutidos são:

  • Inclusão digital: o que pode ser feito para custear o acesso à internet e dispositivos adequados para leitura, acompanhamento de atividades virtuais e produção textual.
  • Atenção prioritária a alunos que recebem o benefício PRAE.
  • Condições de sincronicidade e flexibilização dos horários estudantis.
  • Oferta de disciplinas eletivas de conteúdos relacionados aos impactos organizacionais e
    sociais da pandemia, possíveis saídas e possibilidades profissionais da Administração e do
    Campo de Públicas.
  • Formação e operacionalização de uma comissão especial para acompanhamento e apoio discente ao longo da realização do ensino remoto emergencial.

 Conheça o Reconecta UFRGS, iniciativa que busca destinar computadores usados a estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica:

UFRGS lança projeto Reconecta, que destina computadores usados a estudantes em situação de vulnerabilidade

GT Apoio a docentes


O GT de apoio aos docentes tem como foco o apoio pedagógico e oferece ideias para auxiliar os professores na adequação ao formato ERE.

  • Realização de oficinas virtuais para orientar a elaboração dos planos de ensino e de avaliação.
  • Suporte às tecnologias digitais de aprendizagem e sugestões para o uso AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem, buscando o oferecimento de atividades atraentes, conteúdos e diversificação de materiais.
  • Participação de estagiários docentes, inclusive no suporte técnico e de pessoal.
  • Apoio à saúde mental do docente de caráter preventivo, com espaços para compartilhamento de experiências no decorrer das atividades.

GT Comunicação e relacionamento

  • Quais serão as ferramentas de comunicação para informar a comunidade sobre decisões, protocolos e datas, priorizando a transparência e o acesso universal a estas informações.
  • Facilitar a comunicação entre os diversos públicos com a unidade e entre si.
  • Ativar novas formas de comunicação, respeitando a capacidade dos recursos humanos da unidade.
  • Fortalecimento da divulgação de ações, eventos e atividades do currículo e extracurriculares.
  • Pensar em plataformas de trocas e ajudas mútuas, especialmente entre os estudantes.

Como encontrar as informações


www.facebook.com/administracaoufrgs/

 

Documentos, portarias e normativas




UFRGS aprova realização de mais um semestre no formato remoto

TAGS: EA ERE retomada UFRGS

Aulas de 2020/2 começam em 25 de janeiro e seguem até 29 de maio. Matrícula de calouros será entre os dias 18 e 22 de janeiro

Início das aulas do Ensino Remoto Emergencial na UFRGS será em 19 de agosto

TAGS: EA ERE retomada UFRGS

CEPE aprovou o documento final de diretrizes do ERE na graduação e o calendário da retomada de aulas no formato não presencial

Sessão do CEPE inicia votação das diretrizes do Ensino Remoto Emergencial

TAGS: retomada UFRGS

Continuação do processo será nesta sexta-feira, dia 24 de julho