Responsabilidade Social

O Escritório de Sustentabilidade nasceu a partir de uma proposta da Universidade para trazer reflexões que envolvessem a comunidade universitária no tripé: ambiental, social e econômico. Com isso em mente, hoje gostaaríamos de conversar sobre escolhas, comidas e hábitos comuns. 

A nova realidade trazida, de uma hora para outra para as nossas vidas, colocou muitas pessoas diante da realidade de repensar seus hábitos de consumo e, fundamentalmente sua alimentação. Com os bares e restaurantes fechados, com o medo de ir ao super disputar por alimentos num ombro a ombro com “sabe-se lá quem”,  muitas pessoas passaram a cozinhar em casa (o que pode ser muito mais barato também). Em poucos dias, vimos nossas “timelines” e posts recheados de gente fazendo maravilhas gastronômicas, padeiros adormecidos em busca do pão perfeito com casca e desenhos lindos e, também, gente que não sabia fritar um ovo (não é acaso que uma das pesquisas no Google mais acessadas na primeira quinzena de abril no Brasil era: como cozinhar arroz). Segundo os especialistas em comportamento, psicólogos e até mesmo nutrólogos, isso pode estar relacionado com uma busca de acolhimento, de reconexão com coisas mais simples, até mesmo como um modo de desestressar. A possibilidade de uma doença trouxe também a preocupação com uma comida de melhor qualidade, ou de “comidas que aquecem a alma”, com gostinho de casa de vó. 

Se tem muita gente comendo mais e melhor, por outro lado, a crise econômica trouxe insegurança alimentar para milhões de brasileiros. Então esta semana, quando você for fazer suas compras no supermercado, ou quem sabe pedir uma entrega de frutas e vegetais orgânicos (tem dezenas de sistemas de entregas em Porto Alegre, se informe e ajude a desconstruir a lenda de que orgânico é ruim, feio, caro), ou até mesmo no pedido de delivery, queremos que você se proponha, ativamente, a ajudar alguém a ter mais comida no prato.

A gente aqui acredita em algumas formas de servir melhor a sociedade e uma delas é sendo solidário de verdade, não apenas dando likes na rede. Já pensou em pedir um lanche não para ti, mas para o próprio entregar que fica até tarde da noite de bike trabalhando? Ou de ajudar alguém que esteja saindo e preparando alimentos para os moradores de rua, ou levando cestas básicas para quem ficou sem emprego? 

Dá para fazer isso sem sair de casa. Nós temos três parceiros aqui no Escritório, que sempre estão precisando de itens (link: Quarentena Solidária no nosso site), mas você escolhe para quem quer doar. De qualquer forma, ajude, como puder. Como dizia o sociólogo Betinho: “quem tem fome, tem pressa”.

Por Andrea Loguercio e Ruane de Magalhães

Junho de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *