UFRGS lança Programa de Desenvolvimento de Gestores

Teve início na tarde desta terça-feira, 26 de março, o Programa de Desenvolvimento de Gestores da UFRGS. Aberta com apresentação musical com o pianista Érico Bezerra, técnico-administrativo do Instituto de Artes, e a soprano Helena Losada, graduanda do curso de Bacharelado em Música, a cerimônia de lançamento do programa ocorreu no Salão de Atos e contou com palestra de José Henrique Paim, professor e diretor do Centro de Gestão Municipal e Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas e ex-ministro da Educação (2014-2015).

Com o objetivo de capacitar os gestores da Universidade de forma continuada e permanente, o programa contará com uma série de ações voltadas ao desenvolvimento das competências governamentais, institucionais e gerenciais prioritárias para o desempenho das atividades e das responsabilidades inerentes à função que ocupam. Tendo como público-alvo dirigentes e vice-dirigentes da Administração Central e de unidades regionais e acadêmicas e servidores docentes e técnico-administrativos investidos em cargo de direção, função gratificada e função comissionada de coordenação de curso, a programação contará com palestras, minicursos, mesas-redondas e oficinas, com atividades previstas para até junho de 2020.

A diretora da Escola de Desenvolvimento de Servidores da UFRGS (EDUFRGS) Cristiane Difini destaca que o programa é resultado de um trabalho iniciado em dezembro de 2017, com base em demandas da comunidade acadêmica e nas informações obtidas com o censo de desenvolvimento dos servidores da UFRGS, realizado em julho daquele ano. Conforme aponta ainda a coordenadora do Grupo de Trabalho de elaboração do Programa de Desenvolvimento de Gestores da UFRGS, Letiere Ferraz Lopes, além de ser recomendação dos órgãos de controle e do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, a formação de gestores é contemplada no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFRGS e no Plano de Gestão. A proposta, ressalta ela, foi pensada a partir das manifestações dos próprios gestores e visa ao “desenvolvimento de competências não só no âmbito profissional, mas que os gestores poderão agregar à vida além do trabalho, além da Universidade”, lembrando ainda que esta é uma oportunidade de integração entre os profissionais de diversas áreas.

O projeto se alinha com as boas práticas de governança e gestão, segundo o pró-reitor de Gestão de Pessoas Mauricio Viegas da Silva, que enfatiza a importância de a instituição contar com servidores preparados “não só nos aspectos técnicos necessários para as atividades inerentes ao cargo, mas também nas habilidades comportamentais e de liderança”. O reitor Rui Oppermann, por sua vez, além de ressaltar o papel fundamental da Edufrgs para a formação e a capacitação dos servidores da Universidade, enfatizou que a grande adesão dos gestores ao programa “demonstra o comprometimento que todos nós temos com a UFRGS”.

As inscrições para cada atividade do programa ocorrem de forma independente e devem ser feitas pelo Portal do Servidor. Mais informações estão disponíveis site do Programa de Desenvolvimento de Gestores.

Palestra de abertura

A primeira atividade da programação foi a palestra “O Gestor na Universidade Pública”, com José Henrique Paim. Além de falar sobre sua experiência como gestor no Ministério da Educação (MEC), onde, antes de ser ministro, exerceu diversas funções entre 2004 e 2014, Paim abordou o contexto da educação superior no Brasil e os desafios que a área enfrenta. Ao comparar as mudanças pelas quais as instituições federais de ensino superior passaram durante o seu período no MEC, como a expansão do número de matrículas, a inclusão educacional por meio das ações afirmativas, a regionalização dos campi e a qualificação da pós-graduação, lembrou que “estamos falando de universidades que são distintas, e isso traz uma responsabilidade muito grande para cada um dos gestores”.

O palestrante também apresentou alguns aspectos importantes para melhores práticas de gestão, como a necessidade de se conhecer a legislação, o estabelecimento de metas, a aplicação do ciclo de planejamento e o foco em resultados. “O resultado é expresso pela qualidade da instituição, pela sua qualidade na formação, pelo seu papel na pesquisa, pela sua influência no desenvolvimento do estado e do país, pela sua relação com a comunidade”, afirmou.

(Fonte: Secom/UFRGS)